Eis as sete vencedoras das 7 Maravilhas da Nova Gastronomia

Através de um programa transmitido em direto pela RTP1 e RTP Internacional, neste caso a Gala da Declaração Oficial das 7 Maravilhas da Nova Gastronomia, os portugueses ficaram finalmente a saber quais as 7 Maravilhas Vencedoras.

- Publicidade -

Depois do concurso ter iniciado com 1.147 restaurantes concorrentes de todo o território nacional, chegou-se finalmente a um resultado final. Eis os vencedores:

  • Categoria Petiscos – TÁBUA DE POLVO, Baptista (Caminha)
  • Categoria Vegetariana – ALGARVE, DO CAMPO À SALINA, À TERRA – Praia Verde Boutique Hotel (Castro Marim)
  • Categoria Vegana – MIL-FOLHAS DE BATATA, CANTARELOS E BOLOTA, Cor de Tangerina (Guimarães)
  • Categoria Peixe e Marisco – RABOS DE POLVO DAS BRUXAS, Bem Bô (Mirandela)
  • Categoria Cozinha – Molecular VEADO NO BOSQUE, Dom Júlio (Vila Nova de Cerveira)
  • Categoria Carne – ESTRELA DO MOSTEIRO, Mosteiro do Leitão (Batalha)
  • Categoria Doçaria – COININHAS, Confeitaria Santa Coina (Barreiro)

Apresentada por Catarina Furtado e José́ Carlos Malato, a Gala da Declaração Oficial das 7 Maravilhas da Nova Gastronomia veio demonstrar uma vez mais a riqueza gastronómica do nosso país e fazer uma justa homenagem a todos aqueles que diariamente dão o seu contributo em prol da valorização deste património nacional. E que este ano foram desafiados pela organização das 7 Maravilhas a reinventar e a reinterpretar o melhor que sabem fazer pela Gastronomia Portuguesa.

Segundo José Fragoso, Diretor da RTP1 e RTP Internacional: “Através da RTP1, o país ficou a conhecer mais 7 novas maravilhas! Desta vez, são pratos com nomes sugestivos e apetecíveis, inspirados nos melhores produtos nacionais, oriundos do mar ou da terra, e reveladores do talento e da criatividade dos nossos melhores profissionais da gastronomia. Esta edição revelou o fantástico potencial da cozinha portuguesa, representada por novas gerações de cozinheiros e capaz de resistir e de se reinventar mesmo em momentos de crise profunda. Uma palavra de reconhecimento também para as escolas portuguesas de turismo e hotelaria, parceiras essenciais nesta edição das 7 Maravilhas, e que são hoje um instrumento indispensável na qualificação da oferta gastronómica de norte a sul do continente, na Madeira e nos Açores”.

“A edição de 2021 das 7 Maravilhas foi a primeira que não premiou o que já é conhecido de todos. Esta edição procurou contribuir para o renascimento do setor da restauração, num ano marcado pela crise da Covid-19, mas também procurou o melhor que os nossos cozinheiros e cozinheiras criativas sabem fazer, na busca incessante dos sabores únicos e autênticos que definem Portugal. Procurámos ainda alertar para o papel da alimentação nas mudanças climáticas e o papel que tem na saúde, através das melhores escolhas que todos deveremos fazer no nosso dia a dia”, disse Luis Segadães, Presidente das 7 Maravilhas.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Já repararam nos novos talões do Lidl? São mais ecológicos

Agora é esperar que a concorrência faça o mesmo.

Burger King abre novo restaurante em Sesimbra

É o 12º spot da marca no distrito de Setúbal e o segundo em Sesimbra.

Vai ser possível visitar os novos trabalhos arqueológicos em Troia ainda em setembro

Mas atenção: é num dia específico e os lugares são limitados.