Depois de voltarem ao ativo, as motas elétricas da Acciona abandonam Lisboa

É um adeus inesperado, talvez provocado pelos efeito da pandemia de COVID-19.

Acciona
- Publicidade -

Após ter suspendido as operações durante o confinamento, a Acciona voltou ao ativo no passado mês de maio, disponibilizando novamente as suas motas elétricas pelas ruas de Lisboa. Pois bem, foi sol de pouca dura.

Apesar de não existir nenhuma informação nem no site oficial, nem na app (não nos surgiram motas disponíveis), foi através das redes sociais que a Acciona informou que iria deixar de operar em Lisboa a partir desta sexta-feira, dia 7 de agosto.

A empresa não se ter pronunciou oficialmente sobre os motivos desta decisão, tudo indica que esteja relacionado com os efeitos da COVID-19. Afinal de contas, e num período em que se espera que os portugueses tenham menos dinheiro no bolso, é expectável que a procura por este serviços de sharing diminua.

Recorde-se que a marca tinha 500 motociclos elétricos disponíveis na capital portuguesa, cobrando diversos preços dependendo do modo de condução. Era também possível comprar pacotes de minutos.

Com o adeus da Acciona, a eCooltra fica agora livre para conquistar mais utilizadores.

- Publicidade -

Parceiros

Relacionados

Motas elétricas da Acciona voltam a ficar disponíveis esta segunda-feira

Aos poucos e poucos, os serviços começam as suas operações. E o serviço de scooter sharing da Acciona é um deles.

Acciona. Há um novo serviço de motosharing em Lisboa

Lisboa é uma cidade com cada vez mais novidades tecnológicas. A capital portuguesa está cheia de serviços de trotinetes,...
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

McDonald’s está a dar produtos grátis na app… mas com uma condição

Trata-se do novo passatempo de Natal da marca.

MXGP 21 – O salto para a nova geração continua por ser dado

MXGP 20 não tinha surpreendido, despenalizado apenas pelo facto de a Playstation 5 ter sido lançada umas semanas antes. Este ano não há desculpas, mas MXGP continua aquém das expectativas.