Estas são as estações de metro que vão ligar Odivelas a Loures em 2026

- Publicidade -

Esperemos que não surjam mais atrasos até lá.

No futuro, mais especificamente em 2026, através do prolongamento da linha vermelha de São Sebastião a Alcântara, o Metro de Lisboa disponibilizará mais quatro novas estações. Numa extensão de cerca de quatro quilómetros, Lisboa poderá usufruir das estações Campolide/Amoreiras, Campo de Ourique, Infante Santo e Alcântara.

Está também em desenvolvimento a linha circular, que prevê o prolongamento da linha do Metro em 1.900 metros. A obra prevista irá ligar o Rato ao Cais do Sodré e criar uma nova linha Verde, criando duas novas estações: Estrela e Santos. Já a linha Amarela ligará Odivelas a Telheiras.

E por falar em Odivelas, vai também ser criada uma nova linha, a linha Violeta, com ligação a Loures.

A linha do metro e as estações

A Linha Violeta apresenta um desenvolvimento com cerca de 13 km de extensão, predominantemente à superfície (8,6 km), mas também com troços em trincheira (0,4 km), em viaduto (0,4 km) e quatro troços em túnel (aproximadamente 3,7 km).

O traçado proposto tem como objetivo servir os grandes núcleos populacionais de Loures e Odivelas, fazendo a ligação entre as freguesias com maior densidade urbana e ligando os mais importantes polos de serviços e comércio.

Esta Linha de metro ligeiro engloba das 19 (dezanove) estações, sendo 3 estações subterrâneas, 2 em trincheira e 14 à superfície. 11 estações serão no concelho de Loures e 8 no concelho de Odivelas. E as estações são as seguintes: Hospital Beatriz Ângelo, Planalto da Caldeira, Torres da Bela Vista, Jardim da Radial, Ramada Escolas, Ribeirada, Jardim do Castelinho, Odivelas Estação, Heróis de Chaimite, Chafariz d ́El Rei, Póvoa de Santo Adrião, Flamenga, Santo António dos Cavaleiros, Quinta do Almirante, Conventinho, Loures, Várzea de Loures, Infantado e Quinta de São Roque.

estações de metro Linha Violeta - Odivelas Loures

As estações Jardim da Radial, Ramada Escolas e Jardim do Castelinho serão subterrâneas, ao passo que as estações Ribeirada e Odivelas Estação serão em trincheira. Todas as outras são estações à superfície.

A Linha Violeta inicia-se ao PK 0+000 (PK=ponto quilométrico), junto ao Hospital Beatriz Ângelo, passa pela Ramada e faz uma importante interface na zona central de Odivelas com a Linha Amarela da Rede do Metropolitano de Lisboa, continuando ao longo do eixo Póvoa de Santo Adrião (onde evita a afetação do centro histórico) – Santo António dos Cavaleiros – Loures e Infantado junto à zona comercial e em grande expansão urbana, e terminando no PMO-Quinta das Carrafouchas, ao PK 13+077.

As grandes condicionantes topográficas existentes, nomeadamente o grande desnível altimétrico de cerca de 100 metros que existe entre o Hospital Beatriz Ângelo e o Centro de Loures / Infantado, são um dos fatores que levaram também à procura de um canal que, além de servir as zonas de maior densidade populacional, vencesse ao longo do traçado os grandes desníveis existentes, diminuindo ao máximo a necessidade de túneis e/ou viadutos.

Qual é a duração da obra e qual o valor do investimento da Linha Violeta?

Primeiro que tudo, há um grande atraso. Aquando da assinatura do protocolo para a criação de uma linha de metro ligeiro de superfície no concelho, estava previsto que as obras começassem em 2023, prolongando-se até ao final de 2025. Mas não é isso que vai acontecer.

Sabe-se agora que as obras deverão iniciar no primeiro trimestre de 2024, ou seja, até março de 2024, terminando no segundo semestre de 2026, isto é, até junho de 2026, de modo a poder usufruir do PRR Português.

E por falar em PRR, o investimento assegurado é de 250 milhões de euros. Adicionalmente, para as componentes de reordenamento urbano e rodoviário e expropriações, estima-se que as municípios de Loures e Odivelas tenham de pagar 80 e 70 milhões de euros, respetivamente.

- Publicidade -

2 Comentários

  1. Cacem necessita de transportes para Lisboa só tem comboio é muitíssimo pouco a linha de Sintra está com população que merece uma atenção quanto à transportes a Lisboa

  2. É urgente a consulta dos detalhes deste projecto!
    Desde passar por zonas que recentemente foram noticia de estarem alagadas, a passar por dentro de urbanizações de forte densidade populacional, reduzindo faixas de circulação, estacionamento e parando o transito em todas as rotundas da mesma, à construção de uma PMO em terrenos RAN e REN…. Este projecto é impensável nestes moldes!!
    https://participa.pt/pt/consulta/transporte-coletivo-em-sitio-proprio-tcsp-nos-concelhos-de-loures-e-odivelas-linha-violeta

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Relacionados

- Publicidade -

Mais recentes