Android Auto oficialmente disponível em Portugal

Claro, terão de ter um automóvel compatível com o sistema.

Android Auto portugal
- Publicidade -

Foi em 2015 que a Google disponibilizou no mercado o sistema operativo Android Automotive OS, mais conhecido como Android Auto. Desde logo, a tecnológica quis fazer com que, de forma simples e segura, os condutores pudessem utilizar as suas aplicações e serviços enquanto estivessem a conduzir.

Agora, numa altura em que o Android Auto está atualmente disponível em quase todos os principais fabricantes automóveis e em 100 milhões de carros em todo o mundo, eis que chega uma belíssima novidade para os portugueses: o sistema acaba de ficar oficialmente disponível no país. Na verdade, o Android Auto já tinha começado a chegar aos utilizadores em dezembro do ano passado, mas o texto publicado no blogue oficial dá conta de que, agora, o SO está disponível para muitos mais utilizadores.

Com o Android Auto, os condutores portugueses podem pedir à Google para reproduzir uma determinada música, enviar mensagens, obter direcções, e muito mais, enquanto mantêm os olhos na estrada e as mãos no volante.

Se possuem smartphones com o Android 10 e superior, tudo o que irão precisar de fazer é emparelhar o dispositivo com um dos 500 modelos de veículos compatíveis. No caso de modelos com o Android 9 e anteriores, terão de descarregar a app dedicada.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Android Auto começa a chegar (de forma oficial) a Portugal

Em breve já não será preciso recorrer a plataformas alternativas para instalar a aplicação.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Pingo Doce chega pela primeira vez aos Açores

O sortido do espaço conta com muitos produtos regionais, fruto das parcerias feitas com 129 fornecedores dos Açores.

Continente abre primeira loja em Gouveia

Continua a expansão da marca da Sonae.

Lagoa dos Salgados será classificada como área protegida de âmbito nacional

Há 21 anos que, em Portugal, não era classificada nenhuma área protegida de interesse nacional.