Análise – Xiaomi Mi Wireless Handheld Sweeper

A marca chinesa mais conhecida pelos smartphones não para de nos surpreender e, desta vez, temos uma “vassoura elétrica”.

Xiaomi Mi Wireless Handheld Sweeper
- Publicidade -

Se, hoje em dia, já deixaram de ser novidades os robôs de limpeza autónomos, ou os aspiradores sem fios, o aparelho a que este artigo se refere não é uma coisa nem outra. É, sim, uma vassoura que tem um mini aspirador incorporado e que funciona um pouco também como uma mopa de limpeza.

Basicamente, o Mi Wireless Handheld Sweeper promete limpar o pó e pequenos detritos que se encontrem no chão sem grande esforço. Será que consegue? Vamos já falar da nossa experiência, mas, primeiro, convém apresentar um pouco melhor o equipamento em si.

Pesando cerca de 1kg e com dimensões de 27x17cm, o Mi Wireless Handheld Sweeper tem um design que, apesar de simples, é bastante moderno. Também simples é o seu funcionamento: a vassoura funciona por meio de escovas que rodam em alta velocidade em espiral e recolhem a sujidade para o interior do aparelho (capacidade do reservatório de 350 ml). A escova principal tem uma velocidade de 1.300 rotações por minuto e pode girar para ambos os lados. Além disso, o dispositivo possui um indicador em LED.

Graças ao seu reduzido peso e dimensões, é necessário muito pouco esforço para manusear, também fruto da forma bem articulada como o cabo está ligado ao aparelho em si. É também fácil chegar a qualquer ponto, como cantos das divisões ou até por baixo de determinados móveis ou sofás.

O Mi Wireless Handheld Sweeper traz ainda na sua caixa um conjunto de tecidos eletrostáticos que se colocam por baixo do mesmo, algo que ajuda a prender as micropartículas que não forem recolhidas pela aspiração do mesmo.

mi wireless handheld sweeper d 1280x720 2

E já que falamos na caixa – de cartão canelado -, convém dizer que, no interior da mesma, existe uma bandeja em plástico com o cabo para montagem, bem como os já falados tecidos eletrostáticos (podem facilmente comprar mais dos que se usam para as mopas e recortar à medida). Contém ainda uns pentes para limpeza do dispositivo e das escovas.

Incluído ainda está o carregador e o manual de instruções. Infelizmente, a encomenda que nos chegou vinha sem adaptador da União Europeia (mas é algo que se resolve facilmente). Já o livro de instruções contém apenas instruções em chinês e com imagens. Não sei se todas as encomendas vão chegar assim, porém, o que posso dizer é que a assemblagem é tão fácil que o facto de as instruções estarem em chinês não causaram qualquer problema.

Em termos de autonomia, este Mi Wireless Handheld Sweeper contém uma bateria de 2000mAh. Tendo em conta os testes realizados, faz com que funcione entre 90 a 120 minutos. A experiência com este aparelho foi bastante boa, pelo que posso dizer que é bastante útil para quem não tenha um aspirador sem fios. É um ótimo produto para limpezas que não tenham de ser muito profundas.

A capacidade de aspiração é boa e os resultados obtidos foram bastante satisfatórios, quer em termos da limpeza, quer em termos de duração da bateria e facilidade de manuseamento. O único ponto negativo foi o facto de que, como o aparelho é branco, as escovas acabam por levantar algum pó antes de o aspirar. Assim sendo, no final das utilizações, o aparelho em si pode ficar um pouco sujo. Isto não é nada que não se resolva – basta retirar o tecido eletrostático previamente utilizado na limpeza e passar com o mesmo pelo aparelho. Podem também usar um novo e colocar depois no aparelho para uma próxima limpeza.

O Xiaomi Mi Wireless Handheld Sweeper está disponível em lojas como a Teknistore, com o preço a ir oscilando ao longo do tempo. Se quiserem adquirir, não se esqueçam de pagar sempre com PayPal.

Nota: Muito Bom

Este dispositivo foi cedido para análise pela Teknistore.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Grow: Song of the Evertree – Uma aventura descontraída no fim do mundo

À semelhança do seu primeiro projeto, a Prideful Sloth aposta novamente numa mistura de vários géneros para criar uma aventura assente na boa disposição e nas tarefas rotineiras.

Jurassic World Evolution 2 – Em busca do vale encantado

Jurassic World Evolution 2 faz justiça enquanto sequela, expandindo a forma como interagimos com os dinossauros e nas oportunidades de criação de um parque de sonho, onde um pequeno erro pode resultar numa tempestade perfeita.

Pokémon Brilliant Diamond/Shining Pearl – Um remake inconsequente e mal aproveitado

15 anos depois, Diamond e Pearl recebem os respetivos remakes para a Nintendo Switch. Remakes esses que merecem ser aproveitados apenas pelo papel de introdutório das mecânicas originais da saga aos fãs mais novos.

American Hero – Um zero à esquerda

Anteriormente cancelado, este clássico FMV está de regresso às consolas e é mais um motivo para apostarmos na preservação de videojogos.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Cinco empresas já têm licença para explorar o 5G em Portugal

Só falta a MEO, que ainda não fez o pagamento.

Passageiros de voos internacionais terão de apresentar um teste negativo no momento do embarque (além do certificado digital) para Portugal

Se este teste não for apresentado, o passageiro pode não embarcar e as companhias áreas ficam sujeitas a coimas.