Análise – Wolfenstein 2: The New Colossus

por David Fialho

A série Wolfenstein conta com um grande legado. Lançado originalmente em 1981 com Castle Wolfenstein, esta série foi-se transformando ao longo do tempo, com alguns dos seus títulos a serem criticamente aclamados e completamente revolucionários. Um desses exemplos foi Wolfenstein 3D, título que popularizou os jogos de tiros na primeira pessoa em 1992.

Avançando no tempo, chegámos a uma nova re-imaginação com Wolfenstein: The New Order, que serviu de base para a sua sequela que hoje falamos, The New Colossus.

Wolfenstein 2: The New Colossus apresenta-nos uma realidade alternativa em que a Alemanha Nazi saiu vitoriosa da Segunda Grande Guerra, com o mundo a estar à mercê deste novo regime.

Neste novo episódio, voltamos a controlar William “B.J.” Blazkowicz, um verdadeiro homem de ferro que sobrevive a quase tudo. Confrontado com o mundo em chamas, a chegada de dois filhos e uma doença terminal, Wolfenstein 2: The New Colossus é tanto um épico, onde que vamos livrar o mundo dos nazis, como uma jornada pessoal.

Podia ser só mais um first-person shooter como tantos outros, mas, tal como seu antecessor, a produtora MachineGames prova que boas histórias, boas personagens e uma boa direção podem tornar um simples jogo numa experiência completa e recompensadora.

Wolfenstein 2 tem uma apresentação fantástica. Os gráficos são lindos e a iluminação e as texturas dos materiais são realistas. Existem poucos artefactos visuais, e, parecendo que não, tudo isto casa perfeitamente com a direção artística do jogo, que, apesar da destruição apresentada em alguns cenários, é extremamente colorida e rica em detalhes. Os visuais são ainda amplificados com elementos dinâmicos e com as fantásticas animações dos personagens que tornam a jogabilidade fluída, o mundo mais rico, e, por vezes, dando-nos a sensação de que estamos a jogar um filme computorizado.

Mecanicamente, estamos perante um jogo FPS tradicional, contando apenas com alguns elementos que são capazes de o distinguir dos outros jogos do género. Podemos disparar duas armas em simultâneo, temos combates corpo a corpo para eliminar os nossos inimigos e um sistema de progressão em que em vez de gastarmos pontos, vamos evoluindo dependendo da maneira que jogamos.

Wolfenstein 2: The New ColossusWolfenstein 2: The New Colossus

Os níveis são compostos por espaços fechados com caminhos alternativos quase labirínticos, sendo que, por vezes, temos espaços mais abertos para incentivar à exploração.

De referir que Wolfenstein 2 é um jogo 100% direcionado para a experiência a solo, incentivando-nos a jogar através dos diferentes níveis de dificuldade, pelos itens colecionáveis e por decisões que alteram o destino de algumas personagens.

A música também ajuda a apimentar as nossas sessões de jogo, apresentando-se num estilo rock-electrónico-industrial que nos faz sentir autênticos bosses nos maiores momentos de caos e tensão.

Mas se há algo em que Wolfenstein 2 brilha é na apresentação da narrativa através das suas cinemáticas. Se os visuais e o som são fantásticos, a direção e execução dos momentos animados são sublimes. Estes são momentos de apresentação de personagens e de exposição da história, mas que nos dão contexto do que acabámos de jogar ou daquilo que vamos enfrentar a seguir. Também são estes os momentos em que podemos largar o comando e deixar absorver nova informação.

Tudo isto resulta graças ao fantástico ritmo do título da MachineGames, aos segmentos de jogo com a duração certa e com cinemáticas curtas, mas ricas em informação, e graças ainda a muita acção, drama e um humor muito característico.

Wolfenstein 2: The New ColossusWolfenstein 2: The New Colossus

Wolfenstein 2: The New Colossus é o pacote completo. É um jogo de ação frenético altamente recomendável aos fãs do género, e não só. E faz para os jogos o que filmes como Mad Max: Fury Road ou John Wick fizeram para os filmes. Sem dúvida, um jogo a não perder.

Wolfenstein 2: The New Colossus está disponível para a PlayStation 4, Xbox One, PC e vai chegar em breve à Nintendo Switch.

O jogo (versão Xbox One) foi cedido para análise pela Ecoplay.

[amazon_link asins=’B071GL3PYR,B072MZGQG9,B072QSWR5T,B072MK2K8R,B071X48ZV9,B072QXCWZ1,B071K1TWDT’ template=’ProductCarousel’ store=’echboo-21′ marketplace=’ES’ link_id=’2332e635-4656-11e8-a73d-f5771e6e3049′]


 

Também pode interessar

Deixar uma resposta

O Echo Boomer utiliza cookies para dar a melhor experiência possível aos nossos leitores. Aceitar Ler mais

%d bloggers like this: