Análise – Smartphone Honor 9

Estamos numa era em que a oferta de equipamentos vai crescendo em todas as vertentes, dificultando cada vez mais nas escolhas de dispositivos. Neste caso, não bastava já a Huawei ter excelentes smartphones como o P10, como ainda teve a coragem de lançar uma sub-marca que tem dado muito que falar. Chama-se Honor e surgiu em 2013.

- Publicidade -

Tendo sido inicialmente criada para o mercado online chinês, esta empresa expandiu-se para o mercado internacional e conquistou clientes um pouco por todo o mundo. Neste caso, clientes jovens, pois os terminais desta sub-marca são orientados para um público com outras idades. E é neste mercado que se insere o Honor 9, smartphone que tivemos oportunidade de testar durante duas semanas.

DESIGN E ECRÃ

honor94 echoboomer

Assim que olhamos para ele, notamos um design audaz e alguns traços característicos do modelo anterior, o Honor 8. Mas tudo no Honor 9 é novo, e é quando o utilizamos que pensamos estar a usar um verdadeiro topo de gama… mas abaixo da barreira psicológica dos 500 euros. No fundo, é como se estivéssemos a usar um Huawei P10, mas da sub-marca Honor, pois toda a qualidade e irreverência a que a empresa chinesa já nos habituou está lá.

Com um corpo construído em metal e com um vidro traseiro com acabamento brilhante, o Honor 9 é um smartphone com um estilo clássico e perfeito de usar com apenas uma mão. A facilidade de utilização é enorme, o que faz com que queiramos passar horas e horas de volta dele.

Sejamos sinceros: o design imaculado e limpo conquistou os nossos corações. Com os seus cantos arredondados ao estilo edge e um peso de apenas 155g, estamos perante um equipamento altamente ergonómico e esbelto. Mas atenção: o Honor 9 é também muito escorregadio e fica com marcas de utilização na traseira, pelo que se recomenda o uso da capa de proteção transparente que vem incluída no pacote. Tira um pouco do charme, é verdade, mas é melhor do que ter surpresas desagradáveis no futuro.

Na parte traseira do dispositivo, temos uma câmara dupla e respetivo flash, e, na frente, temos a câmara frontal, um ecrã LTPS IPS LCD de 5,15 polegadas e resolução Full HD e um leitor biométrico (que também funciona como botão Home) na parte inferior. Neste ponto em específico, goste-se ou não do posicionamento do leitor, a verdade é que faz o trabalho de forma irrepreensível. Arriscamos mesmo a dizer que foi dos melhores leitores biométricos que já testámos.

Quanto ao ecrã propriamente dito, estamos perante um painel de imensa qualidade que transmite cores excelentes e profundas e que apresenta imagens nítidas, mesmo com luz solar a incidir diretamente. Achámos o contraste demasiado intenso, o que nos fez reduzir o brilho do ecrã de modo a ter uma experiência de uso ideal. E quando o fizemos, tivemos um dispositivo fantástico para o uso diário. Peca somente por ser apenas Full HD e não um Quad HD, por exemplo, mas esta foi uma decisão que teve em conta a vida da bateria.

DESEMPENHO E CÂMARAS

honor98 echoboomer

O processador Octa-Core Kirin 960 (o mesmo do Huawei P10), o GPU Mali-G71 MP8 e os 6GB de RAM na versão que recebemos dão ao Honor 9 um desempenho muito rápido e eficaz, sem quaisquer quebras. Mesmo que tenhamos várias apps pesadas e jogos a correr de fundo, o desempenho não irá sofrer com isso, nem o próprio aquecimento, que quase acaba por não se notar. Tendo em conta a utilização da RAM deste Honor 9, quem tiver a versão de 4GB de RAM não encontrará problemas.

Neste aspeto, também ajuda a EMUI da marca, aqui bem mais leve e elegante em relação a versões anteriores. As otimizações feitas por esta máscara facilitam a vida ao utilizador e tornam a experiência o mais agradável possível. Resta dizer que o Honor 9 irá receber a atualização para o Android 8.0 Oreo, o que faz todo o sentido.

No que toca às câmaras, e mesmo sem possuírem o nome da Leica, os sensores traseiros cumprem bem o seu papel, apesar de os resultados não serem tão entusiasmantes quanto os de um Huawei P10.

Aqui temos um sensor monocromático de 20MP e outro RGB de 12MP com uma abertura de f/2.2. A qualidade das fotos captadas é muito boa, mesmo com condições de baixa luminosidade. As imagens têm elevado contraste, são bem claras e nítidas e mostram diversos detalhes, o que permitirá perceber diversos pormenores nas imagens captadas. Em boa verdade, muitos smartphones hoje em dia trazem dois sensores traseiros que em nada melhoram a qualidade geral. O mesmo não se pode dizer do Honor 9, pois cada sensor faz o seu trabalho de forma exemplar, focando com rapidez e precisão tudo o que se pretende fotografar.

Apesar do Honor 9 contar com um zoom híbrido de 2X, sentimos falta de um estabilizador de imagem ótico, o que ajuda nas fotos noturnas. Há ainda vários modos de fotografia que os entusiastas podem experimentar.

Em vídeos, e apesar da boa qualidade de gravação e do bom som captado, o Honor 9 ressente-se da falta do OIS (estabilizador de imagem óptico), ou seja, os vídeos vão ter uns quantos tremores. Contudo, podemos usá-lo em algumas situações que ficamos com vídeos com bastante detalhe e cores fidedignas.

Já a câmara frontal, apesar de bastante convincente para selfies, apresenta muito grão nas imagens noturnas e, durante o dia, dá a sensação de que a própria foto captada está com os brancos demasiado realçados. Mas é bastante satisfatória para o que se pretende.

AUTONOMIA E SOM

No campo da autonomia, a bateria de 3200mAh do Honor 9 safa bem para um dia de uso intenso, conseguindo aguentar-se ate final do dia com uns 15% de carga restante. Caso o utilizemos de forma moderada, isto é, sem abusarmos na reprodução de vídeos e jogos e dados móveis, conseguimos autonomia para dia e meio. Mas como o Honor 9 tem carregamento rápido via USB-C, é aconselhável andar com o kit de carregamento atrás para o recarregar quando for mais conveniente.

Quanto ao áudio, aqui temos um dispositivo que tem afinação do DSP (Digital Signal Processor) por parte da Monster e um altifalante mono (sim, é uma pena não ser estéreo) com toque da Rainer Maillard. Para chamadas e reprodução de vídeo, o volume sai alto e encorpado, mas é com auriculares/auscultadores que o Honor 9 demonstra todo o seu potencial, especialmente se possuirmos uns auriculares/auscultadores de boa qualidade. Portanto, se usares o Spotify ou o Tidal para ouvires aquelas músicas que não saem do ouvido, terás aqui uma experiência enriquecedora.

EXTRAS

O Honor 9 possui um sensor de infravermelhos, algo pouco habitual neste tipo de equipamentos, mas que lhe permite controlar equipamentos como sistemas de áudio ou o próprio televisor. Por exemplo, se não soubermos do comando de um equipamento que tenha suporte a infravermelhos, podemos usar o Honor 9 para o controlar e resolver os problemas.

Alguns podem dizer que a ausência da capacidade de carregamentos sem fios é uma lacuna neste smartphone, porém, o que faz mesmo falta é uma certificação IP, pelo que é necessário um cuidado redobrado para não deixar cair o terminal à água.

CONCLUSÃO

O Honor 9 é daqueles smartphones quase perfeitos. Tem excelentes características, uma performance invejável e câmaras fantásticas para a sua gama. Só lhe falta mesmo resistência á àgua e um estabilizador ótico nos sensores fotográficos, mas por tudo o que dissemos e pelo preço de 429€ na loja oficial Vmall, fica impossível não recomendar este terminal.

nota 45

O Honor 9 foi cedido para análise pela Honor.

Segue-nos nas redes sociais no Facebook, Twitter e Instagram.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Jurassic World Evolution 2 – Em busca do vale encantado

Jurassic World Evolution 2 faz justiça enquanto sequela, expandindo a forma como interagimos com os dinossauros e nas oportunidades de criação de um parque de sonho, onde um pequeno erro pode resultar numa tempestade perfeita.

Pokémon Brilliant Diamond/Shining Pearl – Um remake inconsequente e mal aproveitado

15 anos depois, Diamond e Pearl recebem os respetivos remakes para a Nintendo Switch. Remakes esses que merecem ser aproveitados apenas pelo papel de introdutório das mecânicas originais da saga aos fãs mais novos.

American Hero – Um zero à esquerda

Anteriormente cancelado, este clássico FMV está de regresso às consolas e é mais um motivo para apostarmos na preservação de videojogos.

Space Moth: Lunar Edition – Uma experiência psicadélica

A nova edição de Space Moth traz-nos uma aventura mais marcante a nível visual e com um enorme foco na dificuldade.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Cientistas da Universidade de Coimbra revelam como a doença de Parkinson pode ter origem no intestino

Conclusões de um estudo que decorreu durante os últimos cinco anos.

Festival Authentica reconfirma De La Soul e Nothing But Thieves para 2022

O Authentica receberá cerca de 30 artistas internacionais e nacionais.

Centro Expositivo do Promontório de Sagres deve abrir no início de 2022

A empreitada, que ascende a cerca de 1,5 milhões de euros, está na fase da construção da cenografia.