Análise – Razer Viper 8KHz

O rato do futuro escondido num periférico muito atual.

Razer Viper 8KHz
- Publicidade -

O novo rato da Razer é tanto uma inovação como um protótipo, daqueles baseados em produtos já existentes que apresentam algo de tão inovador que ainda não está bem preparado para ser um produto completamente novo.

É assim que nos chega o Razer Viper 8KHz, um novo rato para a cena gaming competitiva que, numa primeira impressão, é exatamente igual ao já conhecido Razer Viper, que conta com modelos sem fios, com fios e, mais recentemente, o Razer Viper Mini.

Ao contrário da entrada mais recente, que na análise comentei que tinha pequenas diferenças estéticas que serviam de teaser para o futuro do modelo, como a sua iluminação Chroma, o Razer Viper 8KHz é mesmo igual ao modelo convencional. O mesmo design, forma, ergonomia, os mesmos botões, as mesmas texturas, o mesmo material.

O que torna o Razer Viper 8KHz tão especial e futurista é o seu interior com algumas melhorias e o facto de vir substituir o atual modelo, ou não se encontrasse este exatamente ao mesmo preço de 89,99€.

Por este fator nem se questiona se vale ou não a pena escolher o Viper 8KHz ou o normal, mantendo-se a apenas a decisão face aos restantes modelos, Mini e Ultimate, que oferecem algumas diferenças relativamente à utilização e versatilidade. Mas não deixa de ser interessante dissecar um pouco o que a Razer fez com o novo Viper.

Mais do que rapidez e novos componentes, o Razer Viper 8KHz é, na teórica, o rato mais preciso do planeta, pois como o nome indica, opera a 8 mil Hz de polling.

Polling é a designação dada ao número de vezes em que um rato transfere informação entre si e o PC, de forma a atualizar a sua posição no ecrã. Por norma, os ratos atuais para entusiastas de videojogos operam com o máximo de mil Hz, apesar de podermos configurar valores menores. No máximo há cerca de mil ciclos por segundo, ou seja, o PC reconhece a posição do rato muito rapidamente. Com o novo chip proprietário, a Razer oferece agora uma solução oito mil vezes mais rápida e precisa, com a capacidade de informar o PC oito mil vezes por segundo.

Razer Viper 8KHz

Equacionando em cima da experiência a taxa de atualização de resposta dos monitores e os frame-rates dos jogos, quanto mais rápida for esta troca de informações mais precisa é a informação mostrada no ecrã, sendo que a margem de erro causada pela sincronização de todos estes elementos é, obviamente, menor.

Ainda na teórica, o objetivo da Razer é oferecer aos jogadores mais dedicados, sensíveis e com os setups mais avançados a experiência mais natural e orgânica atualmente possível. Mas o que é que isso significa na prática? A diferença das suas inovações faz-se sentir? Bom, a resposta pode ser complicada.

Primeiro que tudo, esta evolução do Razer Viper adiciona mais coisas que os 8 mil Hz de polling. Nesta primeira versão ainda com fios, mantemos o cabo Speedflex maleável e de baixo atrito, suporte Chroma RB e sensor ótico 5G, mas o salto é dado a nível de DPIs, passando de 16 mil para 20 mil. Há, também, uma maior sensibilidade – perfeita para quem usa ecrãs de altas resoluções -, uma velocidade máxima de 650IPS e a segunda geração de switches óticos.

Há, de facto, melhorias face ao modelo anterior, mas mesmo colocando o 8KHz “ao nível” do modelo normal, isto é, com os mesmos DPIs, a diferença não é imediata. E no uso mais casual e normal, mesmo em produtividade, nada muda.

Para tirar partido destas vantagens é, na verdade, quase necessário ter uma excelente e cara configuração, um computador capaz de correr a framerates altíssimos e um monitor com altas taxas de atualização, materiais que não tive ao meu alcance durante os meus testes com o Razer Viper 8KHz. O que torna o exercício de procura pelas vantagens das suas inovações algo complicado.

Mas há boas notícias. Talvez seja o efeito placebo a funcionar, ou até é mesmo efeito do rato, mas, ao fim de algum tempo, ao mudar para o modelo convencional, senti que algo estava diferente. Foi um efeito natural, mas, com a mesma calibração e definições, era como se não estivesse a ter o mesmo nível de precisão.

Razer Viper 8KHz

Para mim e provavelmente 99% dos leitores deste hands-on, a grande novidade do Razer Viper 8HKz poderá não significar nada, ou não se fará sentir. Contudo, o mesmo não se pode dizer aos atletas de eSports e outros jogadores competitivos, onde o mínimo de latência possível e a precisão são fatores chave para as suas vitórias, especialmente aqueles que investem ou têm acesso aos melhores equipamentos possíveis.

Também não se deve olhar para o lado para as outras melhorias do Razer Viper 8KHz. Além de ser, atualmente, o mais preciso do mundo e à prova de futuro, incorpora melhorias que o tornam o mais atual possível para as necessidades do jogador moderno: os switches óticos melhorados, maior flexibilidade no ajuste de DPIs e calibração inteligente de acordo com o nosso uso.

Apesar de só existir em formato com cabo, sem a flexibilidade e liberdade dos Ultimate sem fios, o Razer Viper 8KHz é o modelo mais avançado desta gama e, provavelmente, o mais avançado do todo o catálogo da Razer.

Com o Razer Viper normal a ser substituído pelo modelo mais recente, o Razer Viper 8KHz é um autêntico no brainer e um daqueles bastante acessíveis para qualquer jogador ou utilizador que esteja a construir um novo setup.

Nota: Muito Bom - Recomendado

Este dispositivo foi cedido para análise pela Razer.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Sigam-nos

12,931FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
656SeguidoresSeguir

Relacionados

Vem aí a primeira Razer DevCon

Acontece em maio e é dedicada a produtores e programadores.

Razer Kiyo Pro é a nova webcam multiusos da marca

A nova câmara aposta na utilização a nível profissional.

Análise – Razer Opus

A nova aposta da Razer focada em Lifestyle é, sem dúvida, uma vitória.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Crítica – Chaos Walking

Chaos Walking irá terminar como um dos filmes mais dececionantes e frustrantes do ano. Mais um para a lista de "filmes com conceitos inovadores e interessantes que não conseguem alcançar metade do seu potencial".

Rock in Rio Lisboa também não se realiza este ano

Por outras palavras, foi adiado para 2022.

EatTasty acaba de ficar disponível no Porto

Disponível tanto ao almoço como ao jantar.