Análise – Razer Viper 8KHz

O rato do futuro escondido num periférico muito atual.

Razer Viper 8KHz
- Publicidade -

O novo rato da Razer é tanto uma inovação como um protótipo, daqueles baseados em produtos já existentes que apresentam algo de tão inovador que ainda não está bem preparado para ser um produto completamente novo.

É assim que nos chega o Razer Viper 8KHz, um novo rato para a cena gaming competitiva que, numa primeira impressão, é exatamente igual ao já conhecido Razer Viper, que conta com modelos sem fios, com fios e, mais recentemente, o Razer Viper Mini.

Ao contrário da entrada mais recente, que na análise comentei que tinha pequenas diferenças estéticas que serviam de teaser para o futuro do modelo, como a sua iluminação Chroma, o Razer Viper 8KHz é mesmo igual ao modelo convencional. O mesmo design, forma, ergonomia, os mesmos botões, as mesmas texturas, o mesmo material.

O que torna o Razer Viper 8KHz tão especial e futurista é o seu interior com algumas melhorias e o facto de vir substituir o atual modelo, ou não se encontrasse este exatamente ao mesmo preço de 89,99€.

Por este fator nem se questiona se vale ou não a pena escolher o Viper 8KHz ou o normal, mantendo-se a apenas a decisão face aos restantes modelos, Mini e Ultimate, que oferecem algumas diferenças relativamente à utilização e versatilidade. Mas não deixa de ser interessante dissecar um pouco o que a Razer fez com o novo Viper.

Mais do que rapidez e novos componentes, o Razer Viper 8KHz é, na teórica, o rato mais preciso do planeta, pois como o nome indica, opera a 8 mil Hz de polling.

Polling é a designação dada ao número de vezes em que um rato transfere informação entre si e o PC, de forma a atualizar a sua posição no ecrã. Por norma, os ratos atuais para entusiastas de videojogos operam com o máximo de mil Hz, apesar de podermos configurar valores menores. No máximo há cerca de mil ciclos por segundo, ou seja, o PC reconhece a posição do rato muito rapidamente. Com o novo chip proprietário, a Razer oferece agora uma solução oito mil vezes mais rápida e precisa, com a capacidade de informar o PC oito mil vezes por segundo.

Razer Viper 8KHz

Equacionando em cima da experiência a taxa de atualização de resposta dos monitores e os frame-rates dos jogos, quanto mais rápida for esta troca de informações mais precisa é a informação mostrada no ecrã, sendo que a margem de erro causada pela sincronização de todos estes elementos é, obviamente, menor.

Ainda na teórica, o objetivo da Razer é oferecer aos jogadores mais dedicados, sensíveis e com os setups mais avançados a experiência mais natural e orgânica atualmente possível. Mas o que é que isso significa na prática? A diferença das suas inovações faz-se sentir? Bom, a resposta pode ser complicada.

Primeiro que tudo, esta evolução do Razer Viper adiciona mais coisas que os 8 mil Hz de polling. Nesta primeira versão ainda com fios, mantemos o cabo Speedflex maleável e de baixo atrito, suporte Chroma RB e sensor ótico 5G, mas o salto é dado a nível de DPIs, passando de 16 mil para 20 mil. Há, também, uma maior sensibilidade – perfeita para quem usa ecrãs de altas resoluções -, uma velocidade máxima de 650IPS e a segunda geração de switches óticos.

Há, de facto, melhorias face ao modelo anterior, mas mesmo colocando o 8KHz “ao nível” do modelo normal, isto é, com os mesmos DPIs, a diferença não é imediata. E no uso mais casual e normal, mesmo em produtividade, nada muda.

Para tirar partido destas vantagens é, na verdade, quase necessário ter uma excelente e cara configuração, um computador capaz de correr a framerates altíssimos e um monitor com altas taxas de atualização, materiais que não tive ao meu alcance durante os meus testes com o Razer Viper 8KHz. O que torna o exercício de procura pelas vantagens das suas inovações algo complicado.

Mas há boas notícias. Talvez seja o efeito placebo a funcionar, ou até é mesmo efeito do rato, mas, ao fim de algum tempo, ao mudar para o modelo convencional, senti que algo estava diferente. Foi um efeito natural, mas, com a mesma calibração e definições, era como se não estivesse a ter o mesmo nível de precisão.

Razer Viper 8KHz

Para mim e provavelmente 99% dos leitores deste hands-on, a grande novidade do Razer Viper 8HKz poderá não significar nada, ou não se fará sentir. Contudo, o mesmo não se pode dizer aos atletas de eSports e outros jogadores competitivos, onde o mínimo de latência possível e a precisão são fatores chave para as suas vitórias, especialmente aqueles que investem ou têm acesso aos melhores equipamentos possíveis.

Também não se deve olhar para o lado para as outras melhorias do Razer Viper 8KHz. Além de ser, atualmente, o mais preciso do mundo e à prova de futuro, incorpora melhorias que o tornam o mais atual possível para as necessidades do jogador moderno: os switches óticos melhorados, maior flexibilidade no ajuste de DPIs e calibração inteligente de acordo com o nosso uso.

Apesar de só existir em formato com cabo, sem a flexibilidade e liberdade dos Ultimate sem fios, o Razer Viper 8KHz é o modelo mais avançado desta gama e, provavelmente, o mais avançado do todo o catálogo da Razer.

Com o Razer Viper normal a ser substituído pelo modelo mais recente, o Razer Viper 8KHz é um autêntico no brainer e um daqueles bastante acessíveis para qualquer jogador ou utilizador que esteja a construir um novo setup.

Nota: Muito Bom - Recomendado

Este dispositivo foi cedido para análise pela Razer.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Os novos Razer Blade trazem consigo novos processadores Intel

A atualização da Razer traz consigo o processador Intel mais potente utilizado nos seus portáteis.

Análise – Razer Barracuda X

Os novos auscultadores sem fios da Razer para jogadores são excelentes e o seu preço acessível é apenas uma das cerejas no topo do bolo.

Análise – Razer Opus X

Com sacrifícios onde contam, a Razer conseguiu mais uma conquista com os mais acessíveis Razer Opus X.

Razer vai de mala cheia à E3 com o ultra-portátil mais avançado de sempre

E com um novo monitor e uma máscara de proteção avançada.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Revista TIME elege Coimbra como um dos 100 locais do mundo a visitar em 2021

A cidade candidata a Capital Europeia da Cultura em 2027 é uma das duas cidades portuguesas que figuram nesta lista.

Dragon Ball Super: Super Hero é o nome do novo filme

Foi revelado o teaser que anuncia esse mesmo nome, bem como um primeiro olhar ao design de algumas personagens.

Festival O Sol da Caparica passa para 2022

A organização promete "uma edição incrível e inesquecível com muita música lusófona".