Análise – Razer Nari Ultimate para Xbox One

Confesso que senti algum ceticismo quando a Razer lançou o Razer Nari Ultimate. Afinal de contas, ninguém quer a cabeça a vibrar, e também tinha dúvidas em perceber se realmente o som iria, ou não, perder qualidade no processo. Felizmente fui enganado, pelo que os peculiares auscultadores da Razer, mesmo não sendo um produto Hi-Fi, rebentaram as minhas expetativas. E sim, fiquei a querer um pouco mais.

- Publicidade -

Com uma alta qualidade de som, aliada à novidade que pode ser ativa e controlada manualmente, juntamente com a sua versatilidade que permitia a utilização de praticamente todos os meus equipamentos, o Razer Nari Ultimate é uma recomendação certíssima para quem procura uns novos auscultadores… exceto para alguns utilizadores, os jogadores de Xbox One.

Por alguma razão, os Razer Nari Ultimate não tinham compatibilidade nativa com a Xbox One, isto é, a sua utilização estava limitada à ligação por cabo de ficha 3.5mm nos comandos mais recentes, enquanto que, por exemplo, com o PC e a PlayStation 4 a utilização sem fios via Bluetooth funcionava lindamente. Entra assim, em cena, um novo modelo, os Razer Nari Ultimate para Xbox One, para tentar agradar a este público.

Sendo a Xbox One X a plataforma onde costumo passar mais de metade do meu tempo nas minhas sessões de jogo, quando a Razer me perguntou se os queria experimentar fiquei muito entusiasmado com a ideia de poder jogar um Halo, Gears ou Forza com aquela sensação extra de imersão a cada tiro ou roda fora da estrada, sem ter fios à minha volta.

nari ultimate xbox 02

Após muitas sessões de jogo, posso dizer que cumpriu e tornou-se muito difícil voltar aos meus auscultadores principais no PC e noutras plataformas. E é precisamente aqui que está o meu maior problema com esta edição dos Razer Nari Ultimate.

Quando são apresentados como um produto para a Xbox One, para a Razer isso quer dizer que esta versão é mesmo exclusiva à consola da Microsoft. Ou seja, não funciona com mais nenhum equipamento, perdendo uma das grandes vantagens, a versatilidade.

Os Razer Nari Ultimate para a Xbox One são basicamente iguais aos originais. A sua forma, corpo e materiais de construção são os mesmos, destacando-se pelos seus acentos verdes, mas falta-lhe, por exemplo, uma ficha de 3.5mm ou um adaptador Bluetooth destacável como no modelo original.

Esta versão dos Razer Nari Ultimate apenas pode ser utilizada com a Xbox One, até porque usam única e exclusivamente o mesmo tipo de ligação sem fios das primeiras versões de comandos para a Xbox One, quando esta foi lançada em 2013. Isto significa que não podemos mesmo usar estes auscultadores numa PlayStation 4, numa Nintendo Switch, num smartphone ou num PC, a não ser que tenhamos um adaptador especial da Microsoft comprado em separado.

Esta falta de ligações atrai outros problemas, como a falta de personalização dos parâmetros do som. É tudo controlado manualmente diretamente nos auscultadores, onde definimos a força da vibração, o volume e se queremos dar prioridade ao chat ou aos jogos, mas não há controlo de equalizadores, baixos, entre outros. É uma pena.

nari ultimate xbox 03

E é uma pena porque, tal como o modelo original, e mesmo nas definições padrão, eu adorei a experiência dos Razer Nari Ultimate. O som é claro, forte e com baixos encorpados. Em jogos surround, a divisão dos canais virtuais é muito bem conseguida graças ao conforto das cúpulas que deixam os nosso ouvidos e orelhas respirar, sendo muito fácil esquecermo-nos que temos algo na cabeça, criando a ilusão que estamos perante um sistema de som envolvente. E claro, a vibração háptica volta a destacar-se por acrescentar uma nova dimensão à experiência, sem distorcer ou criar ruídos extra.

Para a utilização em chat também é uma excelente solução e, tendo em conta que não é um equipamento muito versátil, a qualidade do som parece ser aceitável o suficiente para jogar online com amigos.

Se, por ventura, jogam apenas jogos na Xbox e precisam de um bom par de auscultadores, os Razer Nari Ultimate para a Xbox One são uma excelente escolha.

Porém, sinto que estes auscultadores são mais uma oportunidade perdida do que uma solução viável para o jogador/utilizador em 2020, que está sempre em movimento e que tem vários equipamentos que podem partilhar periféricos.

Os Razer Nari Ultimate originais são tão completos e capazes de vender a novidade que apresentam que, de alguma forma, torna este modelo um pouco redundante, especialmente quando a solução de comprar um comando mais recente para a Xbox One com ficha de 3.5mm fica muito mais em conta.

Os Razer Nari Ultimate para a Xbox One já estão disponíveis nos pontos de venda habituais e têm um preço recomendado de 219,99€.

Para ficarem a saber mais sobre os Razer Nari Ultimate, podem ler a nossa análise original, aqui.

Nota: Muito Bom

Razer Nari Ultimate para a Xbox One

Este dispositivo foi cedido para análise pela Razer.

Os Razer Nari Ultimate para a Xbox One oferecem virtualmente a experiência fantástica dos auscultadores originais. Mas a falta de opções e de versatilidade impedem que tiremos total partido destes fantásticos auscultadores que vibram em sincronia com a ação no ecrã.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Análise – Samurai Warriors 5 (PlayStation 4)

1 contra 1000: quem irá ganhar? É melhor apostarem no primeiro.

Análise – Olympic Games Tokyo 2020 – The Official Video Game (Xbox One)

Olympic Games Tokyo 2020 – The Official Video Game é claramente uma abordagem simples, familiar e intuitiva aos Jogos Olímpicos, sendo um complemento perfeito nesta época em que acompanhamos os nossos atletas e desportos favoritos.

Análise – Within the Blade (PlayStation 4)

Vivam a experiência de serem ninjas num jogo competente, mas com alguns problemas de jogabilidade.

Análise – F1 2021 (PlayStation 5)

F1 2021, tal como MotoGP 21, marca o início de um futuro espetacular para os jogos de desporto motorizado. A partir de agora é sempre a subir!
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Estafetas manipulam GPS para ganharem vantagem nas plataformas de delivery

A Uber sabe disso e já começou a avisar quem está a "jogar sujo".

Crítica – Evangelion: 3.0+1.01 Thrice Upon a Time

Evangelion: 3.0+1.01 Thrice Upon a Time chega finalmente ao ocidente através da Amazon Prime, terminando a longa série anime, que marcou e traumatizou gerações, de forma vitoriosa e emocional.