Análise – Razer Kishi (iPhone)

O Razer Kishi para iPhone é como um cheat code que vem trazer vantagem competitiva, principalmente nos jogos de tiros na primeira pessoa. É impossível não gostar.

Razer Kishi para iPhone
- Publicidade -

Após termos recebido e analisado a versão Android deste equipamento, chegou a vez de testá-lo para iOS e o resultado foi muito positivo. Quer em ergonomia, quer em latência, quer em qualidade dos materiais e diversidade de botões.

O Razer Kishi vem equipado com duas borrachas cuja forma permite usar o equipamento com o iPhone XS e 11 Pro, como com modelos maiores, entre os quais o iPhone XR, XS Max (o que usei para o teste), 11 e 11 Pro Max. Entretanto surgiu a dúvida se seria compatível com os novos modelos, mas já foi confirmado que sim, tanto no site da Razer, como no da Apple. É, também, compatível com os modelos Plus do iPhone 6s, 7 e 8, se bem que duvido que arranjem grandes jogos para estes modelos.

A ergonomia é cada vez mais um ponto de foco no que toca a videojogos e nota-se que houve cuidado e preocupação por parte da Razer para garantir que, com o seu produto, fosse possível jogar horas a fio sem sentir grande desconforto. A nível de dimensões, independentemente do iPhone usado, é muito semelhante à Nintendo Switch, mas é bem mais confortável (não uso mais a minha Switch muito por culpa do desconforto, mesmo com capa própria). A disposição dos botões em si também está muito bem conseguida, sendo fácil chegar a qualquer um de forma intuitiva. Só tive mais dificuldades em associar o nome dos botões à posição, visto que já não jogo Xbox desde 2010.

A Nintendo ganha aqui um rival a nível de portabilidade. O facto do controlador dar para compactar, ser leve e ocupar pouco espaço, é uma vantagem face à Switch, visto que é fácil arranjar espaço para o equipamento na mochila ou bolso do casaco no dia-a-dia, levando-o numa viagem. Outra vantagem face à Switch é que o Kishi (após algumas horas a jogar) dá a sensação de ser mais robusto e de ter uma maior durabilidade que os joy-con (conhecidos por avariarem facilmente).

Após testar o Kishi com alguns jogos distintos, entre os quais Asphalt 9, Call of Duty e Shadowgun Legends, pude concluir que a latência “Ultra-Low” anunciada bate certo, oferecendo uma vantagem competitiva enorme face a quem usa apenas o ecrã táctil. Esta latência baixa deve-se muito ao controlador ser ligado ao iPhone pela entrada de carregamento. Isto remeteu-me para uma dúvida inicial, mesmo antes de ter recebido o produto, que se prendia com o carregamento da bateria do iPhone enquanto se joga: é possível graças a uma entrada para o cabo de carregamento no controlador e, apesar de funcionar com a bateria do iPhone, não tem consumos notáveis.

Para além disso, também é uma ótima opção caso queiram fazer Remote Play da vossa consola (PlayStation ou Xbox), pois evita terem de andar com um comando atrás. Outra vantagem é que, com o Razer Kishi, só precisam de carregar o iPhone, algo que não acontece noutras opções, em que têm de carregar não só o smartphone, mas também o comando.

Outro ponto positivo é o facto de não terem de procurar um sítio para pousar o iPhone e posicioná-lo para conseguir uma boa experiência de jogo. Basicamente, este Razer Kishi descomplica o jogo remoto.

Fica a faltar o serviço da Xbox (Game Pass) para iPhone, visto que ia conferir mais utilidade ao Kishi para quem usa Apple, mas isto não é, de todo, um problema da Razer. Posto isto, o único problema com que me deparei foi mesmo o quão chato é ter de tirar a capa do iPhone sempre que quero usar o Kishi. Tenho a certeza que não é fácil conseguir um molde perfeito para que o iPhone com capa fique bem fixo (tal é diversidade de formatos de capas), mas, ainda assim, é um ponto negativo.

Colocando o Razer Kishi para iPhone na balança, o resultado é muito positivo. Fácil de usar, bastante ergonómico, latência praticamente inexistente, possibilidade de compactar e, por sua vez, facilidade de transporte e boa qualidade de materiais (das pegas e botões). Para além disso, tem um preço convidativo e justificável para aquele que é, segundo a crítica (e o prémio CES) o melhor produto do mercado, na categoria em que se insere.

Este é um produto pensado sobretudo quem gosta de gaming em smartphones sem latência ou procura uma opção eficiente, sólida e cómoda para complementar a vontade/necessidade de jogar a partir do Remote Play (quer da Playstation, quer da Xbox).

O Razer Kishi para iPhone pode ser adquirido na loja oficial da marca por 109.99€.

Nota: Muito Bom - Recomendado

Este dispositivo foi cedido para análise pela Razer.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Sigam-nos

12,770FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
656SeguidoresSeguir

Relacionados

O Razer Kishi está agora disponível para iPhone

O complemento perfeito para os subscritores do Apple Arcade.

Análise – Razer Kishi

O novo companheiro dos jogadores da Cloud.

A Razer tem o adaptador perfeito para tirar partido do Xbox Game Pass nos smartphones

O Razer Kishi é uma de várias soluções para quem quer levar os seus jogos para todo o lado.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Novo confinamento. Supermercados passam a fechar às 17h aos fins de semana

O Governo apertou as medidas de confinamento, mas continua sem fechar as escolas.

O novo Justice League vai ter um formato de filme de quatro horas

Inicialmente Zack Snyder anunciou que a sua versão do filme seria uma minissérie.

Há quase 30 exclusivos de consola a caminho da Xbox em 2021

Com duas pequenas exceções, o ano de 2021 vai encher a Xbox One e as Xbox Series X|S de exclusivos.