Análise – Razer Hammerhead Pro V2 – Pesados como um martelo

Os Razer Hammerhead Pro V2 são a segunda iteração de soluções áudio da Razer no segmento de auscultadores intra-auriculares.

- Publicidade -

Disponível em três modelos diferentes com ligação estéreo de 3.5mm, USB-C e completamente wireless, a Razer disponibilizou-nos a primeira versão para este teste.

Os Hammerhead Pro V2 saltam logo à vista por duas razões: cor verde néon característica dos produtos da Razer e formato do cabo achatado, uma decisão que, em termos de design, ajusta-se ao formato achatado da ficha do modelo USB-C, que serve de base de todas as variações deste produto.

Os auscultadores, com drivers de 10mm, são construídos em alumínio e apresentam um design bastante básico e sólido, apenas com o branding a destacar-se na sua face, resultando num aspeto muito premium.

Ainda nos auscultadores. a Razer oferece também a possibilidade de podermos mudar as pontas, com três novos pares de dimensões diferentes, para além da ponta de membrana dupla instalada por defeito.

No cabo direito vamos encontrar os controlos de volume e o botão do atendimento de chamadas, também estes simplificados e dispostos sob o formato do cabo.

Já na ficha, neste modelo de ficha estéreo 3.5mm, temos uma ligação de 9º graus.hammerhead v2 pro 03

Dentro do pacote dos Hammerhead Pro V2, para além das ditas pontas extra, encontramos uma pequena bolsa circular para colocar este equipamento, assim como um adaptador extra que divide o sinal áudio em duas fichas de 3.5mm, de entrada e de saída de som, para ligar a dispositivos que usem esta configuração, como alguns computadores.

Não é por acaso que estes auscultadores se chamam “Hammerhead” (cabeça de martelo). Essencialmente pretendem dar uma experiência de áudio bastante encorpada e forte.

Os baixos são bastante acentuados e a divisão entre graves e agudos está muito bem conseguida. Curiosamente, no geral, o som apresenta-se um pouco seco e não muito dedicado ao bass que este tipo de equipamentos costuma apostar, dando a sensação que estamos perante um som mais puro e aproximado do que é pretendido de cada fonte.

É também um equipamento claramente mais direcionado para ouvir música do que, por exemplo, ver filmes ou jogar, uma vez que a mistura de sons, dependendo da música, torna-se mais agradável de ouvir e não requer tanta distribuição a nível de sons ou da sua posição. De uma forma geral, são bastante competentes em todo o tipo de utilização e apresentam uma qualidade de som bem ajustada ao seu valor.

Claro que esta perceção depende do nível de isolamento na utilização e do conforto das pontas utilizadas. Admito que tive alguma dificuldade em escolher a melhor ponta, acabando por usar a mais pequena. Em comparação com outros equipamentos do género, a ponta padrão ou de tamanho médio ajustar-se-iam na perfeição, mas aqui senti dificuldade nas pontas maiores.

Os Hammerhead Pro V2 são exímios no que toca ao material de construção dos auriculares. Contudo, os materiais metálicos, juntamente com a sua ergonomia, podem tornar-se difíceis de usar durante muito tempo, acabando por ser pesados e não correspondendo à expetativa de um isolamento a 100%.

Voltando também ao seu cabo achatado há um lado bom e um lado mau. No bom é que parece bastante forte e pouco propício a enrolar com facilidade, algo que é um pesadelo para qualquer utilizador deste tipo de equipamentos. Por outro, as suas terminações dão a ideia de que podem partir com qualquer dobra, o que não deixa de ser irónica. Mas talvez seja uma questão de hábito, até porque, no fim do dia, o cabo apresenta-se bastante robusto.

E o veredito é que são uns auscultadores bastante interessantes. Oferecem uma qualidade de som ótima para ouvir música, num equipamento que também prima pela qualidade de construção. Todavia, apesar de terem nota positiva naquilo que realmente importa, os Hammerhead Pro V2 fazem jus ao seu nome, pelo dos auscultadores, resultando numa experiência pouco confortável.

O equipamento foi cedido para análise pela Razer.

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Sigam-nos

12,371FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
653SeguidoresSeguir

Relacionados

Crítica – The Social Network

O que surge da parceria de dois cineastas perfecionistas e meticulosos? Uma obra magnífica do cinema!

Análise – XIII Remake

Um regresso ao passado que desvirtua a memória do jogo original para um lucro rápido da produtora.

Análise – Just Dance 2021 (PS4)

Com as novas consolas aí à porta, Just Dance 2021 chega just in time, para meter a malta a suar sem sair de casa.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Behemoth e Arch Enemy dão concertos em Portugal em outubro do próximo ano

Duas das mais aplaudidas bandas do metal extremo contemporâneo: de um lado, um grupo clássico do death metal; do outro, um dos projetos emergentes mais interessantes dos últimos anos.