Análise – Trust 960 GXT Graphin

Forma e função, num rato acessível para os jogadores que estão a começar a sua aventura.

- Publicidade -

Os equipamentos Gaming da Trust parecem ter um propósito muito comum entre eles: o custo acessível, ao mesmo tempo que os decora de forma convidativa para o público a quem se dirige. Cumprem o seu propósito de formas simples e dão as mãos a uma apresentação extravagante.

Dentro do seu catálogo de periféricos para PC, o Trust 960 GXT Graphin salta à vista pelo seu aparato. É um rato desenhado a pensar na experiência gaming, ostentando um design com um padrão hexagonal recortado para, segundo a marca, aliviar o seu peso. Já que um rato leve é um dos grandes pontos de destaque dos produtos deste segmento.

Como o estilo se alia à função, por baixo do seu padrão temos iluminação RGB de 16 milhões de cores, tornando o rato numa espécie de disco ball para a palma das nossas mãos. É também um rato de dimensões médias com um perfil bastante simples e moderno, ao ponto de que se não fosse o seu peculiar padrão, seria um rato bastante sóbrio e discreto.

trust 960 gxt graphin review echo boomer 1

Apesar da tentativa de reduzir o peso, o padrão recortado pouco faz, colocando o Trust 960 GXT Graphin apenas com 70gr, 4 gr a menos do indicado pela Trust, que é o padrão para equipamentos do género. Outras características de destaque é o facto de ser um rato com cabo rígido e entrelaçado, tem uma taxa de polling até 1000hz, sensor de resolução de 10 mil DPI, dois botões de laterais e, claro, o RGB.

No geral, é um rato bastante competente, dentro do que outras marcas mais caras, como a Corsair e a Razer, oferecem em periféricos do género de baixa e média gama. Mas claro, com os seus sacrifícios que o tornam bem mais acessível do que a concorrência.

Em termos de utilização, o Trust 960 GXT Graphin surpreende. Não se faz sentir como um equipamento muito barato. É ergonómico, confortável e bastante responsivo graças à sua base que permite movimentos suaves e precisos. A sua roda é suave e o clicar dos botões extremamente satisfatório, apesar de o som do clique ser um pouco elevado e o seu atraso ao levantar de cada botão não o tornam propriamente o rato mais rápido para os jogadores mais exigentes.

trust 960 gxt graphin review echo boomer 4

O seu peculiar design é uma boa ideia na teórica: junta o estilo à função, dando-lhe um aspeto interessante e tenta remover algum peso que não conseguiria de outra forma. Em momento algum afeta a sua utilização, até lhe confere alguma aderência à mão, mas por ter este design aberto está suscetível a acumular sujidade das mãos ao longo do tempo e outras poeiras que possam entrar pelos orifícios.

Outro aspeto menos positivo a ter em conta é que, tal como outros produtos da marca, para o bem ou para o mal, não tem opções de personalização, quer das cores que apresentam um padrão arco-iris cíclico, quer no mapeamento dos botões ou de perfis de resolução, que podem ser alterados entre seis perfis através de um botão próprio.

Ainda assim, o Trust 960 GXT Graphin causa um impacto bastante positivo, especialmente se considerarmos como um equipamento de entrada de gama. É acessível, tem estilo, confortável e tira partido das suas especificações.

O Trust 960 GXT Graphin pode ser encontrado à venda nas lojas por 39,90€.

Recomendado

Este dispositivo foi cedido para análise pela Trust.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

As novas barras de som da Trust apostam no gaming e no RGB

As novidades da Trust são tão coloridas como sonoras. Neste caso, temos duas novas barras de som para juntar ao setup dos jogadores.

Trust GXT 255+ Onyx é o novo microfone de produção profissional

A nova aposta da Trust é dirigida a profissionais e criadores de conteúdo.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Burger King. Quando uma campanha é mal executada

Podia ter corrido tão bem...

Infinissima Touch é a nova máquina da Nescafé Dolce Gusto

Com o simples toque de um botão, podem preparar mais de 35 combinações criativas.