Análise – Corsair Scimitar RGB Elite

Tal como os chapéus, ratos há muitos, com alguns a destacarem-se pelo formato, pelo preço, pelas características técnicas e, cada vez mais, pela quantidade de botões e opções de personalização.

- Publicidade -

Esta última é um dos principais aspetos que muitos jogadores têm em conta, especialmente se, para além de rapidez e precisão, precisarem de atalhos rápidos onde normalmente não existem.

Com o Scimitar RGB Elite, a proposta da Corsair não se fica pela personalização luminosa como o seu nome indica, mas pela personalização de um teclado de 12 teclas que pode ser ajustado e acedido com um simples polegar.

Este é o aspeto que salta logo à vista neste rato de design assimétrico e relativamente limpo, que conta com uma ergonomia confortável, uma superfície suave e aborrachada e uma zona rugosa de apoio para o anelar. Com um cabo entraçado, também se destaca o facto de este não estar anexado ao centro do rato, mas sim em frente ao botão esquerdo.

Como comecei por indicar logo de início, o destaque é mesmo o teclado lateral que conta com uma particularidade interessante: o seu ajuste para a frente ou para trás, num slider patenteado, de forma a podermos colocá-lo de forma confortável e ao alcance do polegar.

A Corsair até inclui com este rato uma pequena chave para podermos apertar e ajustar facilmente o pequeno teclado.

Com recurso ao software da Corsair, iCUE, podemos configurar todos os botões disponíveis como quisermos, seja com atalhos para programas, atalhos para jogos, ações de sistema e muito mais. As combinações são infinitas e podem ser guardadas em diferentes perfis, incluindo três na memória interna do rato.

Neste programa podemos também alterar a sensibilidade, que vai até aos 18 mil DPI, e as cores de personalização, que são também úteis, funcionando como indicadores visuais dos perfis do rato e da sua sensibilidade graças a uma luz dedicada lateral que ilumina o teclado.

A utilização do teclado do rato requer alguma habituação, especialmente para decorar muscularmente e através do tato em que botão estamos a carregar. Pessoalmente, este processo foi relativamente rápido durante a minha utilização e, com tantas teclas, dei por mim a dar uso a apenas seis, ou as duas primeiras filas a contar pela frente.

A memorização de cada uma das ações foi rápida também graças à rugosidade aplicada a cada fila de botões, com a primeira lisa, a segunda rugosa e com os botões do meio a terem um pouco de saliência, facilitando assim a navegação do polegar entre cada botão.

Surpreendentemente, apesar de ser um teclado para gaming, em particular MOBAs, MMOs, entre outros, o Scimitar RGB Elite é também um excelente rato de produtividade. Aplicações criativas como a coleção da Adobe ou até a simples navegação de um browser podem tornar-se experiências bem mais satisfatórias e produtivas com os atalhos corretos.

O Corsair Scimitar RGB Elite já está à venda e pode ser adquirido pela loja oficial da Corsair por 89,99€.

Nota: Muito Bom

Corsair Scimitar RGB Elite

Este dispositivo foi cedido para análise pela Corsair.

Com todos os seus botões e possíveis atalhos, o Scimitar RGB Elite não só é ótimo para jogos com muitos comandos, como também é uma excelente ferramenta de produtividade.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Sigam-nos

13,033FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
788SeguidoresSeguir

Parceiros

Relacionados

Análise – The Longing (Nintendo Switch)

Uma experiência única sobre a passagem do tempo e o nosso lugar enquanto jogadores.

Análise – Retro Machina (PlayStation 4)

Explorem o futuro pós-apocalíptico através dos olhos de um robot que procura o seu lugar num mundo em decadência.

Análise – R-Type Final 2 (PlayStation 4)

Um regresso há muito esperado de uma das séries mais icónicas do género shoot’em up.

Análise – New Pokémon Snap (Nintendo Switch)

Uma viagem nostálgica e refrescante, mas limitada.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

30 dias com o Dyson Airwrap: Um caso de amor à primeira vista

É um produto caro, sem dúvida, mas o Dyson Airwrap não falha no seu propósito. E tudo o que faz, faz bem.

Oficial: Novo filme de Dragon Ball Super nos cinemas em 2022

E depois disto, só falta mesmo o anime regressar ao pequeno ecrã.

Análise – The Longing (Nintendo Switch)

Uma experiência única sobre a passagem do tempo e o nosso lugar enquanto jogadores.