Análise – Monster Jam Steel Titans 2 (Nintendo Switch)

Monster Jam Steel Titans 2 é algo entre o desafiante e o divertido, pelo que certamente irá deixar-vos com os nervos à flor da pele.

Monster Jam Steel Titans 2
- Publicidade -

Após ver o trailer do jogo, ficou a sensação que, enquanto a versão da Playstation iria desaproveitar o potencial da consola, a versão da Switch tinha tudo para ser satisfatório e servir de entretenimento ambulante de fácil acesso. Escolhi testar a versão para a Nintendo Switch e não me arrependo, de todo, visto que bate certo com as minhas expectativas.

Monster Jam Steel Titans 2 é um jogo de Monster Trucks que traz algumas novidades em relação ao seu predecessor. Entre as quais mais veículos, novos mundos, novos modos online, estádios autênticos e modos de competição baseados no que acontece na competição na vida real.

Sendo que as competições de Monster Trucks são, tipicamente, norte-americanas, este jogo vai, certamente, encontrar entraves em vingar no mercado português. Eu próprio confesso que, ao início, também tive as minhas reservas, mas decidi experimentar para ter mais conhecimento de causa. A conclusão é animadora, pois apesar das suas fragilidades, Monster Jam Steel Titans 2 é um jogo bastante divertido para os mais novos e muito desafiante para os mais velhos.

A interface de Monster Jam Steel Titans 2 é relativamente simples e fácil de compreender. Primeiramente por ser obrigatório passar um teste de admissão antes de começar a jogar, onde nos são dados a conhecer todos os comandos disponíveis e as suas funcionalidades. Após completar o tutorial, somos remetidos para o primeiro mundo onde começa toda a aventura, pelo que, basicamente, estamos a jogar antes de decidir o que queremos fazer no jogo. É uma abordagem diferente, mas não desgosto.

É quando colocamos o jogo em pausa que temos acesso aos modos de jogo disponíveis. O foco do jogo reside em “Single Player”, área onde conseguimos aceder às competições de World Career e The Big Show, que funcionam por capítulos e vão permitir desbloquear novo veículos, novos estádios e os mundos seguintes ao que começamos. Nesses capítulos, é possível competir contra outros NPCs em determinadas categorias, quer em pavilhão (Heat-To-Head, Freestyle, Two-Wheel Skills e Timed Destruction) quer no mundo em causa (Circuit Racing ou Waypoint). Nas Circuit Racing, há a possibilidade de metade da grid correr em direção oposta da outra metade, dando origem a situações inesperadas e imprevisíveis sempre que se cruzam. Esta modalidade de jogo é brutal.

Monster Jam Steel Titans 2

Enquanto as categorias em pavilhão são dotadas de dinâmicas relativamente fáceis de compreender e, por sua vez, dominar, as corridas nos mundos (Waypoint ou Circuit Racing) são mais complicadas de controlar. Digo isto porque, apesar de poderem controlar a direção do Monster Truck através do eixo frontal e eixo traseiro das rodas, é mais enganador do que parece. E o facto das pistas terem inúmeros mino obstáculos e diferenças de relevos faz com que seja extremamente fácil capotar o Monster Truck. Capotar o Monster Truck, nem que seja apenas um vez, pode ditar o adeus ao 1º lugar, mesmo a jogar em dificuldade média. Os cinco mundos são muito distintos a nível de ambiente e decoração, mas todos eles originam uma experiência completamente diferente. Só não fiquei fã do 2º por ser mesmo muito básico.

O Single Player também permite Quick Play, mas é necessário desbloquear todas as pistas e mundos em World Career e The Big Show para jogar nelas. Caso tenham interesse em competir contra alguém, há três modos que o permitem. Se estiverem com amigos podem fazê-lo em Split Screen (dá até seis jogadores), se bem que com o ecrã da Switch pode ser difícil. Caso tenham amigos na zona com o mesmo jogo, podem competir em Local Multiplayer. Na eventualidade de não terem ninguém com quem jogar, podem optar por jogar online contra jogadores de todo o mundo.

Os gráficos na Switch são o esperado, ao passo que, na TV, ganham outra qualidade. Contudo, a minha experiência a jogar na TV não foi, de todo, positiva. Não quero com isto atribuir responsabilidades ao jogo, mas havia mais arrastamento de imagem que a jogar em Handheld mode, e os joycons ligados à estrutura de comando tinham algum atraso no que toca a responsividade. Tenho a dizer que foi frustrante a experiência e deu vontade de atirar o comando contra a parede. Juro que sou um gajo pacífico quando perde, por saber que a responsabilidade foi minha. Agora perder por deficiência do jogo já é outra história.

A mecânica é interessante e tem ciência, sendo possível controlar ligeiramente o comportamento da orientação veículo em terra, impedindo-o de capotar, através na manipulação correta dos dois eixos das rodas ou com trabalho de acelerador/travão. Já no ar é outra conversa, pois mesmo conseguindo controlar a inclinação do veículo (para trás e para a frente), a nível lateral não há forma. Não é nenhuma debilidade, apenas obriga a quem está a jogar a interpretar os relevos e possíveis resultados após interação com os mesmos.

Monster Jam Steel Titans 2

As debilidades de Monster Jam Steel Titans 2 passam, sobretudo, por bugs que fazem com que o Monster Truck atravesse certos obstáculos (aparentemente sólidos), fique preso de forma pouco natural a árvores, tenha reações anormais ao embate contra determinados obstáculos ou outros veículos ou, o mais grave de todos, ficar entrelaçado com outro Monster Truck como se fossem um só, continuando durante tempo indeterminado. Nada disto está sempre a acontecer, mas acontece com mais frequência do que gostaria. Talvez um futuro update corrija em parte algum destes bugs.

Para além destes bugs, em relação ao logo em si, só não gostei muito no facto dos carros temáticos se “partirem” quando há embates. Enquanto somos presenteados com uma panóplia de Monster Trucks caricatos e muito originais, estes perdem a magia quando capotam e perdem partes, ficando só a carroçaria (idêntica ao Monster Truck com que começam). Embora perceba o lado realista por detrás desta decisão, acho que rouba um pouco a magia ao jogo.

Em suma, Monster Jam Steel Titans 2 é um título divertido e desafiante. Apesar de não serem precisas muitas horas para desbloquear todo o conteúdo, serão necessárias muitas para o passar em dificuldade difícil com sucesso, principalmente no último mundo, que é excessivamente complexo (pela positiva). Nas provas de pavilhão vão estar tranquilos, mas fiquem avisados que, quando chegar à corrida final de cada capítulo, estão a jeito para um ataque de nervos na perseguição pelo primeiro lugar.

Como disse anteriormente, Monster Jam Steel Titans 2 é um jogo muito divertido para os mais novos, por ser uma sandbox onde os cinco mundos estão ligados entre si, sendo possível jogar infinitamente sem chegar a um beco sem saída, com muito por explorar. Mas é, também, um título desafiante para os mais velhos, exigindo muita leitura das pistas e domínio do Monster Truck nos mais variados cenários. Contudo, o maior ponto positivo é mesmo o preço, que está fixado em 39,99€ para todas as consolas. Parece-me ajustado.

Mesmo que não estejam familiarizados com este tipo de competição, ou não tenham conhecimento de todo da cultura Monster Truck, este Monster Jam Steel Titans 2 é um jogo que não a exige para tirar o máximo proveito e diversão.

Nota: Muito Bom

Disponível para: PC, Xbox One, Xbox Series X|S, PlayStation 4, PlayStation 5 e Nintendo Switch
Jogado na Nintendo Switch
Cópia para análise cedida pela Dead Good Media.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Análise – Samurai Warriors 5 (PlayStation 4)

1 contra 1000: quem irá ganhar? É melhor apostarem no primeiro.

Análise – Olympic Games Tokyo 2020 – The Official Video Game (Xbox One)

Olympic Games Tokyo 2020 – The Official Video Game é claramente uma abordagem simples, familiar e intuitiva aos Jogos Olímpicos, sendo um complemento perfeito nesta época em que acompanhamos os nossos atletas e desportos favoritos.

Análise – Within the Blade (PlayStation 4)

Vivam a experiência de serem ninjas num jogo competente, mas com alguns problemas de jogabilidade.

Análise – F1 2021 (PlayStation 5)

F1 2021, tal como MotoGP 21, marca o início de um futuro espetacular para os jogos de desporto motorizado. A partir de agora é sempre a subir!
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Preparem a carteira: Combustíveis voltam a aumentar de preço já amanhã

Começa a ser um mau hábito, mas os portugueses não conseguem fugir desta realidade.

Estafetas manipulam GPS para ganharem vantagem nas plataformas de delivery

A Uber sabe disso e já começou a avisar quem está a "jogar sujo".