Análise – iRobot Roomba i3

Se querem salvar tempo e energia ou desdenham aspirar, esta é uma boa opção… caso não se importem com o preço.

- Publicidade -

Texto por: Cláudio Araújo

Existem vários robôs aspiradores disponíveis no mercado, isso é certo e sabido. No entanto, os modelos Roomba, da iRobot, têm feito parte das principais escolhas do mercado. Hoje apresentamos a nossa opinião sobre o modelo de entrada, o iRobot i3, que tivemos a oportunidade de experimentar nos últimos meses.

Ao abrirmos a embalagem, temos, dentro da mesma, o robô aspirador, a estação de carregamento Home Base, um cabo de alimentação e um filtro adicional.

O funcionamento é simples e prático. Basta ligar o robô, instalar a app iRobot HOME para smartphones, ligar ao Wi-Fi, fazer o respetivo emparelhamento com o smartphone e, a partir daí, mandar ao equipamento trabalhar. Fazem tudo a partir do smartphone, pelo que não têm de se preocupar com mais nada. É como se tivessem o poder da limpeza na ponta dos dedos.

Caso não pretendam sequer levantar um dedo e possuam um sistema smart home, como a Amazon Alexa, podem ditar comandos para que o aspirador comece a aspirar a casa.

A navegação inteligente em linha reta utiliza sensores de rastreio do pavimento para limpar lógica e objetivamente em linhas paralelas enquanto evita ficar preso entre móveis. Já a tecnologia Dirt Detect concentra a limpeza onde esta é mais necessária, como nas áreas com mais sujidade da casa. Se a bateria estiver fraca, o robô retorna à base para recarregar, retomando depois do ponto onde interrompeu e garantindo a conclusão da limpeza.

Este robô aspirador utiliza um sistema de limpeza de três fases com duas escovas de borracha multissuperfície com dupla ação e sucção para limpar diferentes superfícies do pavimento em toda a casa. Tal como no modelo iRobot i7, este modelo vem equipado com uma escova para limpeza de cantos que foi especialmente concebida para afastar os resíduos dos cantos a serem aspirados.

Com recurso à app iRobot HOME podem agendar limpezas regulares, como por exemplo a cada dois dias e/ou definir que o robô aspire sempre que se afastem uma determinada distância de casa, opção bastante útil para quando sabem vão estar fora de casa por algum tempo. Para utilização desta última opção é necessário ativar o sistema de localização do vosso smartphone, a toda a hora, o que aumenta significativamente o consumo de bateria.

O robô foi testado num modesto T2 com alguns tapetes e sem animais, mas com algumas visitas da minha parte à praia, o que permitiu testar as capacidades de limpeza do i3 em diversas superfícies e sujidades. Tendo em conta a minha experiência, a eficácia de limpeza é bastante boa, tendo superado as minhas expectativas principalmente no que toca aos tapetes, os quais foram profundamente limpos quase sem saírem do sítio.

Após umas sessões de reconhecimento pela casa, o robô consegue evitar a maior parte dos objetos. No entanto, devem sempre ter o cuidado de ter o chão livre de cabos (por exemplo carregadores de computadores portáteis) e outros objetos de baixa estatura, e obviamente têm de deixar as portas totalmente abertas para que o equipamento possa circular à vontade. No meu caso, deixar a porta da varanda da sala de estar aberta costuma ser um esquecimento fatal. Por algumas vezes contava regressar e encontrar a casa limpa para verificar que o robô ficou preso nesta divisão, mas em sua defesa existe um desnível acentuado entre a sala e a varanda.

Ao contrário do modelo i7 e apesar de existir um mapa da minha casa na app, este aparelho não permite criar zonas a limpar nem zonas interditas, pelo que qualquer limpeza será sempre completa e a duração dependerá da sujidade existente.

O depósito de sujidade tem uma capacidade de 0,4l, o que no caso do meu (repita-se modesto) apartamento obrigou-me a esvaziar o depósito cerca de uma vez a cada duas semanas, embora por vezes tivesse de o fazer uma vez por semana. Julgo que esta variação está relacionada com os dias mais quentes em que tenho por hábito deixar as janelas abertas, acabando por entrar mais poeira em casa.

É aqui que surge a minha principal crítica ao modelo i3: não obstante ser um modelo que limpa bastante bem, o preço de 449,90€ por um robô bastante simples e que, ainda assim, nos obriga a lidar com o pó a cada duas semanas, não parece ser uma proposta de valor razoável face aos concorrentes.

Bem melhor é a proposta do modelo i3+. É exatamente o mesmo robô, mas traz na caixa a Descarga Automática de Sujidade Clean Base, que faz com que, no final de cada limpeza, toda a sujidade seja retirada automaticamente do depósito do robô. O preço original do i3+ é de 699,99€, o que é demasiado, mas encontra-se atualmente a 529,99€, um preço bem mais simpático e que compensa claramente face aos 449,90€ pedidos pelo i3.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Braava jet m6 é o novo robô esfregona da iRobot

Precisam de uma esfregona nova? E de um robô? Então porque não juntar essas duas necessidades num só equipamento?...

Rowenta Air Force Flex 560 – Flexibilidade, leveza e liberdade de movimento na hora de aspirar!

O Rowenta Air Force Flex 560 é um modelo de aspirador de pó vertical da Rowenta que ganha muitos pontos face aos modos mais convencionais de aspiração.

iRobot apresenta novo robô aspirador e um robô esfregona

De um lado o Roomba s9+, que a marca diz ser um robô aspirador "super premium". Do outro o...

Análise Roomba 676 – Aspirar nunca foi tão fácil

Na nova era tecnológica, vários são os novos produtos que vão aparecendo no mercado, uns mais inovadores que outros,...
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Já repararam nos novos talões do Lidl? São mais ecológicos

Agora é esperar que a concorrência faça o mesmo.

Burger King abre novo restaurante em Sesimbra

É o 12º spot da marca no distrito de Setúbal e o segundo em Sesimbra.

Vai ser possível visitar os novos trabalhos arqueológicos em Troia ainda em setembro

Mas atenção: é num dia específico e os lugares são limitados.