Análise – EKSA E900 Pro 7.1

De tudo o que estes headsets oferecem de bom, se há coisa nesta marca que é fiel ao anunciado é o conforto que os seus headsets conferem, que os alavancam a um nível perto dos melhores do mercado.

- Publicidade -

Na era dos eSports, se há coisa que o mercado não tem escassez é oferta de headsets de qualidade. Contudo, por norma, qualidade implica custos associados, por vezes acima do que o jogador comum está disposto a gastar, criando um nicho de mercado muito interessante que abre portas a novas marcas ou marcas com menos representação no mercado, como é o caso da EKSA.

Fundada na Índia, tinha inicialmente como foco colaborar com marcas top tier na área de auscultadores. Recentemente, com o propósito de oferecer mais poder de eGaming aos jogadores indianos, passaram de sub-contratados a produtores autónomos de headsets. No espaço de três anos, a expansão foi intensiva e já contam com armazéns nos Estados Unidos, Canadá e na União Europeia.

Após o lançamento do modelo E900, chega o E900 Pro 7.1, equipado com sistema dual driver que permite uma experiência mais imersiva com som surround, superior face ao clássico som estéreo. Para jogos de tiros na primeira pessoa, este tipo de sistema de som é essencial e este modelo oferece exatamente o que promete.

Para além do sistema de som que referi anteriormente, como crítico de música e, por sua vez, ávido ouvinte, é evidente que uma boa parte do meu tempo de teste com estes headsets foi a ouvir alguns álbuns que exploram determinadas nuances de som. No fim do dia, posso confessar que estou francamente impressionado com o trabalho da ESKA com a qualidade de som. Até digo mais, na minha experiência razoável com auscultadores, tenho a dizer que estes headsets estão acima de muito auscultadores dedicados, mas neste caso por um preço bem mais acessível.

Com sensibilidade de 105dB (+/- 3dB a 1KHz) e 320 ohms de impedância, o som é afetado positivamente, conferindo uma experiência fiável e cristalina. A faixa de frequência situa-se entre 20Hz-20KHz, o intervalo que o ouvido humano consegue captar, portanto. Por sua vez, o sistema de dual driver desempenha com distinção a amplificação dos baixos sem ruído e consegue um equilíbrio notável entre a intensidade dos baixos e a qualidade do som, não usando uma amplificação exagerada dos baixos para disfarçar as debilidades do som, como outras marcas tendem a fazer.

O microfone é removível, flexível e ajustável, permitindo tê-lo na posição exata que mais convier. Está equipado com noise cancelling com a capacidade de isolar sons circundantes e, apesar da sensibilidade de -40dB +/- 2dB não ser impressionante, a transmissão de som não distorce muito a voz, nem quando a capta em volumes mais elevados. Estranhamente, a qualidade do som transmitida pelo microfone parece ser melhor na Playstation do que no PC, vá-se lá a saber porquê.

É possível ligar e desligar o microfone instantaneamente com o mute switch na concha esquerda do headset, junto ao regulador de volume. Tanto o mute switch como o controlador de volume estão colocados estrategicamente para facilitar a interação do jogador com os mesmos.

Alternando o foco para a construção deste dispositivo, contém algum plástico, mas a estrutura é maioritariamente em metal, dando uma sensação de robustez e transmitindo confiança na qualidade dos materiais do produto, enquanto oferece uma boa flexibilidade. Nas zonas onde o headset está em contacto com a cabeça do jogador, há revestimento em pele suave (protein leather) envolta em esponja de memória com uma espessura considerável. As conchas de 50mm de diâmetro chave são o grande highlight deste produto no que toca ao conforto, permitindo um melhor ajuste à cabeça através de um ângulo de inclinação de 10 graus e são ajustáveis com a bandolete, que é igualmente confortável. Tendo em conta que os headsets são leves e não causam pressão na cabeça, exponenciam o conforto e permitem horas de jogo ou a ouvir música sem causar fadiga, que é uma das missões da marca.

uksa e900 pro 7.1 echo boomer 1

O EKSA E900 Pro 7.1 vem acompanhado de cabo USB-C, com o qual é possível obter o som surround virtual 7.1 no PC, cabo AUX (lockable) para uma experiência imersiva nas restantes plataformas, um cabo de extensão “Y” para PC’s com entrada dual de auscultador e um microfone flexível. Para além disso, traz consigo uma bolsa de transporte de qualidade e manual de instruções.

De pontos negativos, não existe um que prejudique realmente a minha perceção geral do produto, mas precisam de ser abordados. O isolamento de ruído circundante não impressiona; A beleza estética não é a maior, sendo que os cabos em espiral de conexão entre as duas conchas são os principais culpados; A necessidade de ter os headsets sempre conectados por cabo USB-C ou AUX para funcionarem é algo limitadora; O facto de terem de ser ligados por USB-C para usufruir do sistema 7.1 apenas nos PC’s não abona a favor dos mesmos… Por fim, ser preciso fazer download da app da marca para ativar o sistema 7.1 é algo aborrecido. Como nota de rodapé, caso usem este headset para jogar na PS5, aconselho a usarem o cabo USB-C em vez do AUX, visto que com o som 3D o resultado final vai ser superior.

Temos, portanto, um produto bem construído, fiável, que pode ser usado como headset ou auscultadores, com qualidade de som acima da média e preço acessível, tornando o EKSA E900 Pro 7.1 um excelente produto na matriz de Qualidade-Preço.

Caso estejam interessados em comprar este produto, podem fazê-lo através do site da Amazon Espanha, onde está à venda por 42.99€, o que é um preço muito interessante para a qualidade do produto em causa.

Este dispositivo foi cedido para análise pela EKSA.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Galp Smart Store. Nesta loja não existem caixas de pagamento (nem funcionários)

A smart store da Galp está localizada na área de serviço Gago Coutinho e vai estar aberta ao público 24 horas/7 dias a partir de junho.

Grupo espanhol investe 38 milhões de euros em projeto de hidrogénio verde na zona industrial da Tocha

Grupo espanhol investe 38 milhões de euros em projeto de hidrogénio verde na zona industrial da Tocha

Feira Internacional do Artesanato de regresso a Lisboa

Três pavilhões diferentes, num total de 30 000 m² de área expositiva.