Análise – devolo GigaGate Starter Kit

Foi em janeiro deste ano que a alemã devolo apresentou em Portugal o devolo GigaGate, um equipamento de rede Wi-Fi, isto é, um bridge para alargar a rede a todos os espaços. O Echo Boomer teve recentemente oportunidade de testar o Devolo GigaGate Starter Kit, que pode muito bem ser a solução para os vossos problemas.

- Publicidade -

A ideia com este pacote é clara: criar uma espécie de “ponte wireless”. Pode parecer um termo estranho, mas é assim que funciona. O objetivo não é melhorar o acesso à rede wireless (para isso existem os kits powerline), mas sim fazer com que os dispositivos que estejam perto do satélite consigam apanhar uma ligação wireless com boa qualidade, sem necessidade de cabos ou de usar a instalação elétrica. Quanto a este ponto, é uma solução especialmente interessante, pois em construções antigas, equipamentos que usam a rede elétrica podem não funcionar corretamente. Assim, o problema fica resolvido.

A comunicação de dados acontece a partir de uma ponte Wi-Fi de alta velocidade criada entre os dois equipamentos, neste caso, a Base e o Satélite. Na prática, a Base deve ser ligada ao router através de um cabo de rede, enquanto que o Satélite deve ser colocado na zona onde existir menor cobertura.

Basta agarramos nos dois produtos para percebemos a diferença entre eles. Apesar de terem o mesmo design e acabamentos em preto piano, existem diferenças nas ligações. Enquanto que a Base possui somente a entrada Gigabit para ser utilizada com o router, o Satélite possui uma porta Gigagit (para ligar um dispositivo que necessite de maior largura de banda) e outras quatro saídas Fast Ethernet limitadas a 100 Mbps, sendo ideal, por exemplo, para ligares a uma consola, SmartTV, box de streaming ou outro equipamento multimédia.

É extremamente fácil configurar estes dispositivos. Basta ligar a Base, depois ligar o Satélite, e, em um ou dois minutos têm a ligação estabelecida e pronta a ser testada. Não há mais fácil que isto. De salientar que esta ligação sem fios é feita tendo em conta a comunicação 802.11ac na banda de 5GHz.

Claro, se por algum motivo estiverem com dificuldades em ter tudo a funcionar, devem não só verificar as definições do vosso router, mas também usar a app devolo Cockpit, disponível para PC, Android e iOS. É, também, nesta aplicação que podemos constatar a velocidade de comunicação entre os dois equipamentos, além de podermos desativar a rede Wi-fi gerada pelo satélite, mudar o nome da rede ou o canal de frequência, entre outras opções.

Devido ao facto da ligação entre a Base e o Satélite ser feita via wireless na banda de 5GHz, tem como consequência a ligação do Satélite para outro dispositivo estar limitada a 802.11n nos 2,5 GHz, o que, na prática, limita velocidades em ligações Wi-Fi até 300 Mbps.

Estando nós limitados a uma ligação de origem de 200 Mbps com o pacote da nossa operadora, resolvemos fazer a experiência. Colocámos a Base ligada ao router e deixámos a Base num local onde a ligação já era mais fraca, a uns cerca de 6-7 metros e com paredes grossas pelo meio.

Os resultados foram fantásticos. Ligados à rede Wi-fi normal conseguíamos uns 40 Mbps, já ligados à rede Wi-Fi criada pelos devolo a ligação saltava para cerca de 100 Mbps. Fomos ainda mais longe e colocámo-nos um local onde a receção de sinal é fraquíssima. Normalmente teríamos algo com 3 Mbps, mas com o devolo a velocidade subiu para cerca de 56 Mbps. Estamos a falar de quase 20x mais velocidade. Impressionante.

A vantagem deste kit está precisamente no facto de facilitar a vida ao consumidor. Por exemplo, fazer streaming de plataformas como a Netflix ou Amazon Video ou efetuar o download de jogos de PC ou consola tornam-se tarefas mais convenientes de executar. Vários são os casos em que temos um centro multimédia numa divisão que não aquela onde está instalado o router, e que, por esse motivo, não consegue ser verdadeiramente proveitoso. Com este Starter Kit o problema fica resolvido. E é possível aplicar o mesmo procedimento a outras divisões, já que podemos ligar um total de oito Satélites a uma só Base.

O único senão está mesmo no facto do Satélite apenas possuir uma porta Gigabit, o que limitará sempre a velocidade dos restantes dispositivos que não estejam ligados a esta única porta de alta velocidade, e o preço de 229€ pelo pack, o que poderá afastar potenciais interessados.

nota 4

O equipamento foi cedido para análise pela AEMpress.

Segue-nos nas redes sociais no FacebookTwitter e Instagram.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Análises de videojogos: Adeus Notas

Porque opiniões são mais do que notas e números.

Análise – Arboria (PC)

Um roguelike com algum potencial que é prejudicado por um combate pouco entusiasmante e uma mão cheia de bugs irritantes.

Análise – WRC 10 (PlayStation 5)

O jogo mais popular do mundial de rali está de regresso, desta vez montado com régua e esquadro já adaptado de raiz para as consolas de nova geração.

Análise – Aliens: Fireteam Elite (PlayStation 5)

O lançamento de Aliens: Fireteam Elite só veio confirmar o que já suspeitava após ver os gameplays: mais facilmente o jogo tira proveito do franchise para o sucesso comercial, do que o franchise tira do jogo.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Os diplomas e certificado escolares vão passar a registar as atividades, iniciativas e projetos dos alunos

Desta forma, cada estudante verá reconhecido o seu percurso escolar em todas as dimensões.

Onde investir, a que indústrias prestar mais atenção e quais evitar ainda em 2021

Qualquer investidor principiante cometerá os seus erros no mercado de ações. Mas isso é perfeitamente normal.