Análise – Devil May Cry HD Collection – Coleção Desmasterizada

Enquanto Devil May Cry não surge com um quinto capítulo, ou com uma sequela do seu reboot DmC, da Ninja Theory, a Capcom ofereceu aos fãs e novos jogadores a oportunidade de jogarem os três primeiros jogos da série nas consolas modernas, tirando partido das altas resoluções e do desempenho melhorado.

- Publicidade -

Devil May Cry HD Collection é o relançamento da coleção de 2012, surgindo agora para PlayStation 4, Xbox One e PC, e que, apesar do potencial de uma remasterização deste calibre, faz o mínimo dos mínimos para trazer três bons jogos para a nova geração, resultando num pacote tecnicamente desatualizado e pouco apetecível.

Esta coleção conta com três jogos: o original Devil May Cry, o menos favorito dos fãs, Devil May Cry 2, e o muito adorado Devil May Cry 3 Special Edition.

As primeiras impressões com esta coleção não são as mais positivas, pois o jogo dá a sensação de ser uma conversão da coleção anterior. Uma conversão que, diria até, preguiçosa, quando começamos a navegar nos menus.

devil may cry 3 cinematic 2

Os jogos podem correr a 1080p e a 60fps (um limite estranho quando já se esperava, pelo menos, o suporte de 4K para a PlayStation 4 e Xbox One X), mas o mesmo não se pode dizer dos menus dentro dos jogos que parecem saídos da PlayStation 2, com texturas baixas, imagens desfocadas e sons de baixa qualidade.

Antes de iniciar o jogo, fui verificar os extras onde temos acesso à banda sonora e fiquei, honestamente, desapontado com a qualidade sonora, algo que não abonou positivamente antes de me lançar aos jogos.

O menu inicial mostra-se intocável da anterior coleção HD para a PlayStation 3 e Xbox 360, mas, dentro dos jogos, parece não ter havido dedicação em refazer menus nem interfaces de jogo desde as suas versões originais, com uma apresentação de imagens e botões desfocados, e com um aspeto hediondo para o que se pede em um jogo de 2018.

Este fraco tratamento também é dado às cinemáticas pré-renderizadas com formatos 4:3 de baixa resolução.

O primeiro jogo é capaz de ser o mais “maltratado” dos três, onde se nota que envelheceu tecnicamente mal e onde as pequenas alterações que foram feitas resultaram num produto final de pior qualidade, com efeitos sonoros repetitivos em loop e músicas que começam e param drasticamente.

Apesar de Devil May Cry 2 e 3 sofrerem dos mesmos problemas de apresentação, é interessante verificar a evolução visual da série ao longo de uma geração. Devil May Cry 3 mostra-se o jogo mais bem tratado do pacote, e, sendo por si só o jogo mais apetecível, já vale a pena o jogo.

A jogabilidade dos três jogos parecem manter-se preservadas. Por um lado é ótimo para jogadores de longa data, especialmente os que começaram na PlayStation 2, e que, agora, na PS4, com o uso do DualShock 4, irão sentirem-se em casa. Contudo, é possível ver como é que estes jogos envelheceram e teria sido interessante ver um ajuste e afinação dos controlos para algo mais contemporâneo.

devil may cry 2 cinematic

Uma vez que os menus também são os mesmos, navegar para ver o mapa e fazer gestão de armas e melhorias também não é uma experiência muito agradável, requerendo mesmo alguma paciência até atinarmos com a navegação correta.

No entanto, é difícil ignorar a sensação de, por vezes, estarmos a jogar um produto emulado de há duas gerações atrás, mesmo que os jogos corram efetivamente bem.

Devil May Cry HD será um jogo mais indicado para fãs da saga a quem o efeito nostálgico faz com que aceitem os atalhos desta conversão. Por muito interessante que seja para novos jogadores ter esta série nas consolas atuais, a sua apresentação descuidada e mecânicas já datadas fazem desta coleção um jogo que parece emulado, o que irá certamente causar muita estranheza, e até desmotivação, após o primeiro contacto.

Devil May Cry HD Collection já está disponível para a PlayStation 4, Xbox One e PC (Steam).

Devil May Cry HD Collection
Nota: 6/10

Este jogo foi cedido para análise pela Ecoplay.

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Sigam-nos

12,363FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
653SeguidoresSeguir

Relacionados

Análise – Gears Tactics

A série Gears troca o caos imersivo da guerra na terceira pessoa por batalhas táticas e cerebrais numa nova perspetiva. Mas mantém todos os outros ingredientes que a definem intactos.

A PlayStation 4 recebe suporte para transmissão de jogos da PlayStation 5

Se vão comprar a PlayStation 5, não se desfaçam já da PlayStation 4.

Godfall recebe um trailer de lançamento

O jogo de ação chega ao PC e PlayStation 5.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Dom Queijo criou serviço de brunchs que está a ser um sucesso

Uma forma de voltar a ter casa cheia, dentro da lotação que é permitida atualmente.

Aon. A app que permite às empresas gerir o bem-estar dos seus colaboradores

E, com base nessa informação, poderão desenvolver programas de promoção do bem-estar que respondam às reais necessidades dos funcionários.

Análise – Pacer

Cinco anos após o lançamento original, Pacer estreia-se nas consolas com um jogo somente satisfatório.