Análise – LG TONE Free FP9

- Publicidade -

Texto por: Cláudio Araújo

Destacam-se por terem uma boa qualidade de som para a pessoa comum e todo o seu design ter uma função associada.

Os auriculares LG TONE Free FP9 são o seguimento da galardoada linha LG Tone Free in-ear headphones, cujo ênfase nos últimos anos recaiu mais sobre a limpeza UV do que sobre a qualidade do som.

Desta vez, a principal mensagem da LG quanto a estes auriculares prende-se com a qualidade e nitidez e ergonomia. “Som de qualidade premium num dispositivo compacto” é a mensagem passada no site da marca, seguida da facilidade de conexão a dispositivos sem Bluetooth, o cancelamento ativo de ruído e o sistema antibacteriano UVnano. Após umas semanas de teste, em ambientes bem diversificados, tenho uma opinião bem formulada sobre este par.

Em reviews anteriores queixei-me bastante sobre a ergonomia dos earbuds e respetivas caixas de carregamento que utilizei. Suspeitei também do quão resistente ao tempo seria o design branco geralmente utilizado. Com os LG Tone Free FP9 não tenho nada a apontar, pois são leves e confortáveis.

Ao início tinha algum desconforto dentro da orelha, mas, após mudar os terminais em silicone medicinal que acompanham, consigo passar horas a ouvir música. Aliado a essa ergonomia está o design – tratam-se de uns earbuds muito pequenos e discretos, ao ponto de, em chamadas, ter sido acusado por terceiros de estar a falar sozinho. A própria caixa tem um formato redondo (55 mm largura e 28mm altura), como que alusivo ao um relógio de bolso, é leve (5,2 g da bud + 36,7 g da caixa), feita de um plástico preto matte bastante suave e conta com entrada para carregamento USB-C e magnetismo que “puxam” os buds para a posição de carregamento correto, o que lhe confere um aspeto e experiência premium.

A caixa contém tecnologia UV Nano Self Cleaning. A LG afirma que esta tecnologia mata 99.9% das bactérias (E. coli, S. aureus e K. pneumonia) após cinco minutos de carregamento ligados à corrente. Sobre a validade desta afirmação faltam-me os conhecimentos técnicos e científicos para me pronunciar, pelo que não vou fazê-lo, mas acredito plenamente na afirmação.

O anunciado de autonomia são de até 10 horas de reprodução sem cancelamento ativo de som, 6 com o cancelamento ativo e ainda mais 14 horas na caixa. Tendo em conta a minha experiência, posso dizer que estes valores são fidedignos e, após uma descarga, consegui carregá-los na caixa para mais uma utilização total, tendo sobrado cerca de 15%.

Fazendo as contas, e abdicando do cancelamento ativo, é de facto possível chegar às 24 horas anunciadas pela LG. A caixa e os auriculares demoram cerca de uma hora a carregar totalmente, sendo que, em cinco minutos, podem obter uma hora de carga nos buds. O cancelamento de som funciona e foi bom o suficiente para silenciar músicos ao vivo no metro em Barcelona mesmo ao meu lado, e sem ter de recorrer ao volume máximo. Para ativar este modo, basta tocar com o dedo no auricular direito durante um par de segundos.

A qualidade de som é boa, muito boa até, para o utilizador comum, e é o resultado de uma parceria com a Meridian Audio. Quer seja em chamadas na rua com vento (não é a solução perfeita, mas também não é terrível), a ver Netflix nos transportes públicos ou a ouvir música onde literalmente quiserem, não ficarão desiludidos. O bass é bastante bom e tem um punch interessante, apesar do formato pequeno dos buds (bem superior a outros buds mais baratos e maiores que já utilizei), e os vocais são, ao mesmo tempo, claros e nítidos. Geralmente gosto da minha música bastante alta e, com este par, não senti essa necessidade. Talvez por estar tão admirado com a nitidez do som.

Ademais, com recurso à app gratuita da LG para smartphone, conseguimos escolher entre os vários perfis existentes (immersive, natural, bass boost, treble boost e 3d Sound Stage), criar até dois perfis, consultar o nível de bateria dos buds e da caixa, consultar o manual do utilizador e ajustar algumas definições, bem como atualizar o firmware dos LG TONE Free FP9 – algo que, por vezes, faz mesmo diferença a longo prazo. No entanto, devo advertir que, com o cancelamento ativo desligado, a qualidade do som deteriora-se um pouco. É esse o preço a pagar para estarem mais cientes do que vos rodeia.

Quanto ao microfone, no geral a minha voz soou bem e foi bem captada, à exceção de uns áudios enviados no WhatsApp quando estava só a utilizar um bud. Ainda estou para descobrir se foi bug da app ou por ter utilizado só um dos buds. Seja qual for o motivo, a LG indica que os buds têm um esquema de três microfones que foi concebido para reduzir os níveis de ruído ambiente e recolher a voz do interlocutor de forma perfeita e até incorporou o “modo sussurro”, o qual, ativável através da app, permite a uma pessoa simplesmente sussurrar numa conversa e ainda assim ser perfeitamente entendido do outro lado da conversa — basta retirar um dos auriculares do ouvido e posicioná-lo junto da sua boca, como se de um microfone se tratasse.

O emparelhamento por Bluetooth é sempre bastante rápido e intuitivo, quer da primeira vez, quer das seguintes, onde a coisa é feita em meros segundos. Com o meu iPhone chega a ser mais rápido que o tempo de colocar nas orelhas e abrir a app ou atender a chamada, sendo que a ligação foi sempre estável. O sensor para detetar se estão nas orelhas ou não funciona na perfeição.

Por falar em emparelhamento, outra característica diferenciadora destes buds é a ligação a dispositivos sem Bluetooth. Na generalidade dos casos, a maioria dos True Wireless Earbuds no mercado tornam-se inutilizáveis ou utilizáveis mediante uma ligação por fios entre os buds e o dispositivo em questão. A LG tem uma solução interessante e incomum para estas situações: um cabo USB-C para audio jack de 3.5mm que se liga ao dispositivo da mesma forma que se ligam uns auriculares por fio normais e, através de um botão de troca externo na caixa, a mesma torna-se no dispositivo Bluetooth que transmite o som para os buds sem fios. Naturalmente, fiquei com a sensação que esta opção reduz um pouco a qualidade do som.

Basicamente, os LG TONE Free FP9 são um produto robusto, sem (aparentes) pontos fracos e onde tudo é bem feito. Destacam-se por terem uma boa qualidade de som para a pessoa comum e todo o seu design ter uma função associada, mesmo que a função seja gimmick, como a limpeza UV ou o modo sussurro para oferecer um pacote mais atrativo para o seu preço de 119,99€ – sendo que até conseguem encontrar abaixo dos 100€ em promoção.

Recomendado

Este dispositivo foi cedido para análise pela LG.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

- Publicidade -

Relacionados

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Gelatieiri. A nova gelateria de Vila Real de Santo António tem gelados bem cremosos

E faz-nos lembrar vagamente a La Romana, que fomos experimentar recentemente em Lisboa.

Chuva de reclamações tapa o Sol da Caparica. Afinal, o que se passou?

Mas as palavras de desagrado do público parecem não ter surtido qualquer efeito junto dos promotores.