ANA aceita abandonar aeroporto no Montijo e avançar para o de Alcochete

- Publicidade -

Mas atenção que ainda não houve qualquer negociação.

Os últimos dias do passado mês de junho ficaram marcados por toda uma polémica relacionada com a construção de novos aeroportos no distrito de Setúbal.

Numa primeira instância, um despacho publicado pelo Ministério das Infraestruturas e Habitação, gabinete do ministro Pedro Nuno Santos, denunciava como objetivos construir dois aeroportos: um no Montijo, que estaria operacional no final de 2026, e que serviria para receber passageiros que viajassem com companhias aéreas low-cost; e outro em Alcochete, que passaria a ser o aeroporto principal de Lisboa em 2035, ano em que se previa que o atual Aeroporto Humberto Delgado fosse desativado.

No dia seguinte, esse despacho sobre a ampliação da capacidade aeroportuária da região de Lisboa foi revogado pelo Primeiro-Ministro António Costa, que reafirmou que a solução tem de ser negociada e consensualizada com a oposição, em particular com o principal partido da oposição – o PSD – e, em circunstância alguma, sem a devida informação prévia ao senhor Presidente da República.

Desde então, este assunto parece ter ficado em águas de bacalhau, mas é certo que o Governo terá de fazer alguma coisa, até porque o Aeroporto de Lisboa tem estado praticamente a “rebentar pelas costuras”, já se falando que, se os números de passageiros forem superiores aos registados este ano, que muito provavelmente vários voos terão de ser desviados para o Aeroporto de Faro.

Em todo o caso, é provável que o assunto volte a dar que falar, até porque, num comunicado enviado à SIC, a ANA Aeroportos referiu estar disponível para abandonar a ideia de um aeroporto no Montijo, optando antes pela construção de um grande aeroporto no Campo de Tiro de Alcochete… desde que a concessão seja alargada por mais 25 anos.

De acordo com o canal televisivo de Carnaxide, a ANA verá com bons olhos a disponibilidade para um aeroporto com capacidade praticamente ilimitada ao lado dos emissores de onda curta da RTP no bairro de São Gabriel entre a Canha e Santo Estevão, sendo que, ao que tudo indica, as pistas de aterragem irão surgir a sul, junto à localidade de Foros do Trapo.

Na verdade, o possível futuro aeroporto de Alcochete reparte-se pelos concelhos do Montijo e Benavente, tendo uma uma área prevista de cerca de 16 hectares.

No entanto, a ANA esclareceu que “tal eventualidade não foi objeto de negociação, seja formal ou informal”.

Entretanto, o Partido Comunista Português disse em comunicado que o aeroporto de Beja “reúne todas as condições no imediato” e deve ser “colocado ao serviço do país”, dado o “expectável aumento do fluxo turístico” e a “grande saturação” em Lisboa e Faro.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

- Publicidade -

Relacionados

E porque não Tancos como solução a um novo aeroporto?

Um Aeroporto do Tejo não seria nada mal pensado.

Governo vai avançar com aeroportos no Montijo e em Alcochete. O de Lisboa é para fechar

O do Montijo, que será complementar, deverá estar pronto em 2026. Já o de Alcochete, que substituirá o de Lisboa, estima-se que entre em funcionamento em 2035.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Fundo de Apoio ao Turismo e ao Cinema com reforço de verbas

Significa, portanto, que está a correr tremendamente bem.

Relembra os mitos e lendas de Midgard no novo vídeo de God of War: Ragnarok

Prepara-te para a próxima aventura de Kratos e Atreus, num divertido resumo.