Almodôvar vai ter um parque zoológico para safaris com animais da savana africana

E nas imediações haverá também um hotel de cinco estrelas.

- Publicidade -

Estávamos em outubro de 2018 quando, numa reunião ordinária da Câmara Municipal de Almodôvar, ficámos a saber do interesse da empresa Africa Land – Turismo e Natureza em abrir um parque zoológico e um hotel de cinco estrelas no município. Na altura, foi submetida para apreciação e deliberação da Assembleia Municipal a aprovação do Reconhecimento de Interesse Público Municipal destes projetos.

Ora, estamos agora em 2022 e o projeto vai mesmo avançar. De acordo com a consulta pública do projeto, disponível até 2 de fevereiro, o “Parque pretende “recriar” o ambiente dos Safari que se realizam em África, contemplando um conjunto de exemplares de animais típicos da savana africana, felinos e herbívoros (21 exemplares de carnívoros e 65 exemplares de herbívoros), que servem como referencial da conservação da vida animal aliada às vertentes de educação e investigação”.

Além disso, o “Parque foi concebido e dimensionado tendo em conta o bem-estar dos animais, no sentido de lhes serem proporcionadas as melhores condições, tão próximas quanto possível dos seus ecossistemas naturais”.

O Parque Zoológico Africa Safari Park – Almodôvar vai ser implantado numa propriedade designada por Herdade da Camacha, com uma área total de 147,67 ha, localizada a cerca de 7km da vila de Almodôvar, em território da atual União de Freguesias de Almodôvar e Graça dos Padrões (antiga freguesia de Almodôvar).

O Parque Zoológico terá uma área de cerca de 141,9 ha e estará vocacionado para a conservação da vida animal aliada à vertente de investigação/educação. O Parque Zoológico terá associada a componente de hotelaria, considerado como uma atividade complementar, para permitir a estadia de visitantes no local, a instalar em zona vedada e separada da área do Parque Zoológico.

O conceito e objetivos subjacentes ao Safari Park encontram-se assentes sobre três pilares estruturantes:

  • Conservação: Conservação e proteção das espécies animais, do seu habitat e ecossistemas, procurando sensibilizar a sociedade para as questões da sustentabilidade e proteção da biodiversidade;
  • Educação: Sensibilização da sociedade para as questões de sustentabilidade e biodiversidade e desenvolvimento de um projeto de formação e divulgação dos temas relacionados com a sobrevivência destas espécies enquadrado no Programa Pedagógico a apresentar;
  • Investigação: Criação de um espaço onde a investigação, incluída no projeto de atividades científicas, terá um papel de extrema relevância na procura de soluções para os problemas e ameaças crescentes a estes ecossistemas, sua diversidade e riqueza.

O Africa Safari Park estará dividido em três zonas: uma dedicada à entrada principal no empreendimento, onde está também a área de estacionamento principal; outra onde estará localizado um hotel de 5 estrelas com 32 quartos, 72 camas e capacidades para 108 hóspedes; e o Parque Zoológico propriamente dito, que abrange grande parte da área da propriedade, incluindo as áreas de herbívoros e de carnívoros, edifícios de apoio, área técnica, quarentena e centro de interpretação.

Mas não se pense que basta aparecer. O funcionamento do Africa Safari Park será diferente, com as visitas a serem efetuadas mediante pré-reserva, sendo preferencial para os hóspedes do hotel. As visitas realizar-se-ão em veículos todo-terreno (deverão existir três veículos com capacidade para 9 ou 12 passageiros). Estima-se um máximo de 200 visitantes por dia (cerca de 5.160 visitantes por mês e cerca de 54.810 visitantes por ano).

Estima-se que o Parque Zoológico venha a empregar 18 funcionários permanentes, aos quais se poderão somar 40 para o hotel e dois funcionários a tempo inteiro para a portaria

- Publicidade -

1 Comentário

  1. Só não entendo como a incerção de animais exóticos numa zona de montado de azinho com boa vitalidade e junto a uma Ribeira a de Oeiras importante para o ecossistema rupícola da região, pode comportar sem danificar o ecossistema Montado e transformar o mesmo em algo parecido á Savana?!!!! Penso que deve ser acautelado as azinheiras,algumas mesmo muitas delas de uma dimensão concideravel. E com bom poder vegetativo, que pode ser prejudicadas por animais da savana africana como as girafas ou bois cavalos impalas ou Kudus ou Palancas. Há que acautelar os danos ambientais no ecossistema local.

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Novo lar de 3ª idade vai nascer em Almodôvar

Um edifício será reabilitado para ter um novo uso.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Microfone Fifine K658 – O go-to se queres começar no mundo do streaming ou podcasts

É o microfone que precisas para fazer o teu podcast andar para a frente, até porque de lado não capta bem o áudio.

Setúbal vai ganhar, em breve, mais de 2500 lugares de estacionamento gratuito

Uma cidade que bem precisa, tendo em conta a quantidade de parquímetros existentes.