Depois da Uber, também a Bolt se expande por todo o país

Basta que exista um motorista disponível na zona.

Bolt
- Publicidade -

Foi há duas semanas que a Uber resolveu mexer com o mercado. Ao invés de se ir expandindo aos poucos pelo território nacional, optou por uma abordagem diferente: cobrir 100% do território português. Porém, essa novidade veio com uma diferença: o serviço só será possível nessa zona caso existam algum motorista por lá. Ou seja, imaginemos que estão em determinada cidade. O serviço até pode existir, mas está dependente da disponibilidade de motoristas. Faz sentido.

Com esta novidade, era de esperar que a concorrência seguisse os passos. E foi o que aconteceu agora com a Bolt, que passa também a cobrir 100% do território nacional. A novidade foi avançada pela empresa num email enviado aos clientes.

Portanto, basta que exista alguém que tenha interesse em obter a licença de motorista para prestar o serviço de TVDE em qualquer parte do país.

Antes desta novidade, a Bolt operava em cidades como Aveiro, Barcelos, Braga, Coimbra, Évora, Leiria, Lisboa, Madeira, Porto, Setúbal e Viseu.

- Publicidade -

Sigam-nos

12,987FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
784SeguidoresSeguir

Parceiros

Relacionados

As trotinetes da Bolt chegaram a Braga

Depois de Lisboa, há mais uma cidade portuguesa a contar com estes veículos da Bolt.

Bolt expande-se para Sines

São já várias as cidades portuguesas a contarem com os serviços da Bolt.

As trotinetes da Bolt passaram a falar com os utilizadores

Através de mensagens de voz que darão informações úteis ao longo da viagem.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Chegou o primeiro gin de flor de cânhamo português

A par do gin, a marca O Benefício lança também os seus primeiros NFTs numa peça visual musical de 700 segundos.

Este e-book vai ajudar a escolher uma licenciatura

Procuram um curso para construir uma carreira de sonho? Então é melhor terem uma ajudinha.

miio Pay. Nova funcionalidade permite pagamentos ocasionais, sem contrato, para o carregamento de veículos elétricos na rede pública

Ou seja, não pressupõe a existência de um cartão de carregamento físico, de um contrato ou a adesão a um serviço.