26ª edição do CineEco – Festival Internacional de Cinema Ambiental acontece em outubro

E dará um grande destaque ao cinema ambiental português.

Cinema Ambiental

De 10 a 17 de outubro, Seia acolhe a 26ª edição do CineEco – Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela, que decorre na Casa Municipal da Cultura desta cidade serrana. Em competição estão 78 filmes e documentários de mais de 25 países, num ano em que será dado grande destaque ao cinema ambiental português.

Dado o atual contexto de pandemia por COVID-19, o Município de Seia, entidade organizadora do Festival, tem vindo a trabalhar em consonância com todas as recomendações emanadas pela Direção Geral de Saúde. Desta feita, o acesso do público a espaços fechados será limitado. Estão, igualmente, garantidas as normas de segurança e higiene, o distanciamento social e a distribuição de postos de higienização nos principais espaços onde decorre o CineEco.

Em tempo de pandemia, a 26ªedição do CineEco traz um novo olhar sobre a premente consciencialização e urgência no debate sobre os temas ambientais.

Este ano, o cinema ambiental em língua portuguesa está em grande destaque, entre longas, médias e curtas-metragens, representando cerca de metade de todas as obras em competição.

Já no que toca a obras internacionais, O CineEco irá apresentar filmes como O Que Arde, do espanhol Oliver Laxe; The Village and the Wildfire, da alemã Kathrin Reichwald; The Great Green Wall, do inglês Jared P. Scott; Sockeye Salmon Red Fish, do russo Dmitriy Shpilenok; Santuário, do espanhol Alvaro Longoria; O Vegetariano, do italiano Roberto San Pietro; Joel et Krystel Our Life to Live, do francês Guillaume Mazeline; A New Era, do chinês Boris Svartzman; e ainda Castelo de Terra, de Oriante Descou.

A Casa Municipal da Cultura de Seia, que detém o selo Clean & Safe, estará preparada para acolher o público, segundo todas as regras de segurança estabelecidas, nomeadamente pela diminuição da lotação das salas para metade da sua capacidade total. Assim, o Cineteatro poderá acolher até 170 pessoas e o Auditório até 70.

Dadas as circunstâncias, não está prevista a presença de alunos do 1º ciclo e jardim-de-infância, que habitualmente se deslocavam ao CineEco. Haverá, também, uma diminuição do número de convidados, como realizadores, elementos do júri da juventude, padrinhos, entre outros.

Todas as sessões e atividades paralelas irão decorrer em sala e estão sujeitas a marcação prévia, não estando previstas sessões online. Para abranger um número mais vasto de pessoas, a organização do CineEco pretende reforçar o conjunto de extensões ao longo do ano.

Também as Ecotalks serão adaptadas à situação atual. De forma a diminuir o número de pessoas no auditório, serão transmitidas através de plataforma digital a anunciar, permitindo o acesso a todos os interessados em participar. As Ecotalks são conversas de 50 minutos sobre questões relacionadas com o cinema e o ambiente, com a presença de especialistas nos temas a abordar. Estão previstas cinco conversas com temas a divulgar oportunamente, sempre às 17 horas.

O programa das atividades paralelas contempla, ainda, um concerto na abertura do festival, duas exposições de fotografia e cinema, entre outras.

Sigam-nos

12,051FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
653SeguidoresSeguir

Relacionados

24ª edição do CineEco premeia “Utopia Revisitada”

Terminou hoje, em Seia, a 24ª edição do CineEco – Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela...

CineEco organiza 1º Encontro Mundial de Festivais de Cinema Ambiental

A 24ª edição do CineEco – Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela começa já no próximo...

CineEco Seia: Festival de cinema de ambiente está de regresso

Está marcada mais uma edição do CineEco Seia. Entre 13 e 20 de outubro, o Festival de Cinema Ambiental...
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes