Tudo o que precisam de saber sobre as tendências tecnológicas para 2021

O ritmo das mudanças tecnológicas “viaja à velocidade da luz” e tal já não constitui propriamente uma novidade.

tendências tecnológicas para 2021

Atualmente, encontramos-nos numa realidade cada vez mais afetada pelo aparecimento da Internet das Coisas (IoT).

Ambientes físicos como escritórios, indústrias, residências e cidades inteiras estão a tornar-se espaços inteligentes centrados no ser humano, nos quais as interações e experiências são conduzidas por meio de vários pontos de conexão.

Por outro lado, esta situação aumenta os desafios relacionados à privacidade e segurança. Outro ponto-chave passa a ser a imitação humana, ou seja, a tecnologia tem vindo a desenvolver habilidades sobre-humanas, criando inúmeras oportunidades em vários campos.

Paralelamente a essa tendência, novos modelos de negócios também têm vindo a mudar essa situação. Novas tecnologias estão a ser aplicadas, novas terminologias estão a ser criadas e novos nichos de mercado estão a surgir.

E claro, a expansão do mercado de negócios digitais acompanha todo esse movimento e tendência digital.

A prova disso mesmo é o aumento do número de domínios registados de há um ano para cá. Os dados mostram que a curva de crescimento de compra de domínios teve um aumento de cerca de 3,5 milhões.

O facto mais óbvio para esse aumento é a pandemia que afetou o mundo inteiro, forçando a digitalização dos negócios e fazendo com que empreendedores e empresas passassem a comprar domínios para atuarem na web.

Agora, para entenderem mais sobre outros aspectos que dizem respeito às evoluções do mercado e da sociedade, vamos ver de seguida as principais tendências tecnológicas para os próximos anos.

Rede 5G

A rede de 5º geração (5G) promete resolver vários problemas e ampliar o acesso e o funcionamento de várias tecnologias. Tal inclui, lá está, a tentativa de uso generalizado da Internet das Coisas.

Em comparação com as atuais redes 4G e 4.5G (LTE avançado), o que muda principalmente no 5G é o maior desempenho no que diz respeito à velocidade dos dados, a aplicação notória na IoT e a baixa latência.

Essa tecnologia também irá viabilizar as interações em tempo real para serviços baseados em cloud computing, como carros inteligentes e outros dispositivos autónomos.

Inteligência Artificial

Uso da Inteligência Artificial

A Inteligência Artificial (IA) é um ramo da ciência da computação que visa desenvolver dispositivos que possam simular o raciocínio humano, a perceção, a tomada de decisões e as habilidades de resolução de problemas. Em suma, é a simulação da inteligência humana.

Entretanto, durante décadas, com o rápido desenvolvimento da informática e da tecnologia de computação, este campo da ciência foi amplamente promovido, permitindo que novos elementos fossem rapidamente adicionados à IA.

Por mais que pareça algo saído de um filme de ficção, a inteligência artificial já está presente em vários contextos do nosso quotidiano, como no smartphone, na TV, no ensino e nas interações com vários dispositivos.

Blockchain

Se já ouviram falar em Bitcoin ou criptomoedas, então necessitam de entender o conceito de Blockchain.

Esse conceito surgiu em 2008 como uma estrutura descentralizada que permitia fazer transações seguras de Bitcoins sem intermediários.

Com o passar dos anos e o desenvolvimento (e amadurecimento) da tecnologia, várias instituições têm vindo a desenvolver blockchain para evitar possíveis fraudes em transações via web.

Por isso, a “cadeia de blocos” (ou dados) é uma das tendências para os próximos anos. Aliás, podemos “vê-la” em sistemas bancários e fintechs.

Sistemas de automação

Sistemas de automação

Muito se fala em automação nos dias de hoje. Mas sabem o seu real significado?

A palavra originou-se do autómato grego e do latim (Automatus), que significa mover-se ou mover-se sozinho. Basicamente, é um sistema (programa ou software) que usa processos automáticos ou automatizados para se autocontrolar.

Portanto, a automação é um sistema que utiliza tecnologia computacional ou mecânica para simplificar e otimizar todos os processos produtivos nos mais diversos setores da economia.

Tal pode incluir sistemas de Internet, soluções para minimizar trabalhos repetitivos e o uso de robôs para executar tarefas que já não requerem intervenção humana.

Por falar em automação, sabiam que mais de 50% das atividades na Internet são feitas por robôs? A Internet está inundada por bots e nem damos conta disso.

Edge Computing

Se anteriormente falámos da IoT, agora está na altura de abordar um assunto que está diretamente ligado.

Segundo a IBM, o Edge Computing é um modelo de computação distribuído que aproxima as aplicações corporativas das fontes de dados, como dispositivos IoT ou servidores locais.

Também conhecida como Edge Computing, esse tipo de tecnologia oferece maior poder de processamento de dados sem latência. Tal explica-se porque a fonte de processamento está muito perto dos objetos (nas bordas), reduzindo, assim, o consumo de banda.

Por isso, essa tecnologia será uma grande aliada para impulsionar a Internet das Coisas nos próximos anos.

Realidade virtual ou aumentada

Realidade virtual ou aumentada

A realidade virtual (também conhecida como realidade aumentada) pode ser utilizada em várias áreas, como Marketing, Educação ou Entretenimento.

Essa tecnologia é capaz de imergir alguém num ambiente criado virtualmente, combinado com o aumento e caracterização desses ambientes.

A VR veio do mundo dos videojogos e, aos poucos e poucos, tem vindo a ganhar espaço no universo dos negócios, seja em workshops, programas educacionais e até mesmo em atividades que envolvem a saúde.

Quem não lembra do recente sucesso do jogo Pokemon GO? É o exemplo mais claro da realidade aumentada nos dias de hoje.

Tecnologias e engenharia aeroespacial

Aeroespacial é um dos ramos da engenharia de desenvolvimento mais rápido. Neste ramo da engenharia incluímos naves espaciais (tecnologia espacial), aeronaves (aviação) e, agora, incluímos também drones.

Além disso, essa área também estuda a conceção e criação de sistemas aeroespaciais, como satélites, foguetes e veículos espaciais.

Entre as disciplinas aprendidas estão: eletrónica, aerodinâmica, telecomunicações, química, física, matemática e outros assuntos importantes para a formação de um engenheiro.

Preocupação com a cibersegurança

Onde há perigo, há que ter prevenção! É assim na vida real e será assim no mundo virtual. A segurança de dados é uma das áreas que mais irá crescer no campo da ciência da computação.

Isso explica-se porque, como há cada vez mais acessos à Internet, também aumentam os números de cibercrimes e outros golpes na rede.

Por isso, num futuro muito próximo, os especialistas em cibersegurança serão tão necessários como a polícia que temos no mundo real.

Multiexperiência

Já ouviram falar em multitouchpoint? Os multipontos de interação serão um dos responsáveis pela Multiexperiência, onde o smartphone e o computador não serão os únicos meios de interatividade com o mundo.

Nesse contexto, também entrarão as experiências multissensoriais, graças à IoT e aos sensores wearables. A propósito, a realidade aumentada será uma grande aliada de tudo isso. É o famoso “tudo junto e misturado” que irá unir a Internet, dispositivos e realidades virtuais.

Conclusão

Olhar para o futuro e identificar tendências tecnológicas relevantes pode preparar pessoas e empresas com antecedência, podendo ser um grande diferencial estratégico de uma empresa ou negócio.

Esse futuro que nos bate à porta vai muito além de comprar um domínio e simplesmente criar um site. A experiência na web irá muito além, como mostram as tendências.

Por outro lado, assim como as empresas necessitam de adaptar-se aos avanços tecnológicos para evitar a “morte prematura”, é importante que os profissionais sejam qualificados para atender a esse mercado que está por surgir.

Sigam-nos

10,845FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
632SeguidoresSeguir

Relacionados

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Bolt Food já funciona em Portugal. Lisboa é a primeira cidade com o serviço

Já é possível realizar encomendas em mais de 260 restaurantes em Lisboa.

Governo quer nova linha ferroviária para ligar Lisboa e Porto em 1h15

A proposta faz parte do Programa Nacional de Investimentos (PNI) 2030. O investimento é de 4.500 milhões de euros.