Portugal passa a Estado de Alerta a partir de 1 de julho, exceto na Área Metropolitana de Lisboa

E tudo isto devido aos novos casos registados na Área Metropolitana de Lisboa.

desconfinamento
- Publicidade -

Foi hoje, em conferência de imprensa, que o primeiro-ministro António Costa anunciou algumas novidades no que diz respeito ao confinamento dos portugueses.

Para já, vamos às boas notícias. Portugal Continental passa a Estado de Alerta a partir de 1 de julho. Porém, tal não quer dizer que possamos fazer a vida que tínhamos antigamente, na era pré-covid. Pelo contrário.

Continua a ser obrigatório o confinamento para doentes e pessoas em vigilância ativa. Além disso, mantêm-se as regras sobre distanciamento físico, uso de máscara, lotação, horários e higienização.

Também os ajuntamentos são limitados a 20 pessoas e é proibido consumir álcool na via pública. Quem desrespeitar arrisca-se a uma multa que varia entre os 100 e os 500€ para pessoas singulares e entre os 1.000 e os 5.000€ para pessoas coletivas.

Porém, o caso muda de figura para a Área Metropolitana de Lisboa. Fica em vigor o Estado de Contingência, o que significa que os estabelecimentos comerciais terão de encerrar às 20h, à exceção dos restaurantes, super e hipermercados (podem permanecer abertos até às 22h), bombas de combustível, clínicas/consultórios/veterinários, farmácias, funerárias e ginásios e afins.

É proibida a venda de álcool nas estações de serviço e os ajuntamentos estão limitados a 10 pessoas.

Mas há pior. 19 freguesias divididas entre Amadora (todas as freguesas), Odivelas (todas as freguesas), Sintra (Queluz-Belas, Massamá-Monte Abraão, Agualva-Mira Sintra, Algueirão-Mem-Martins, Rio de Mouro e Cacém-São Marcos), Loures (Camarate, Unhos, Apelação/Sacavém-Prior Velho) e Lisboa (Santa Clara) permanecem em Estado de Calamidade.

Quer isto dizer que estão proibidas as feiras e mercados de levante, havendo o dever cívico de recolhimento domiciliário. Os ajuntamentos estão limitados a 5 pessoas.

- Publicidade -

Parceiros

Relacionados

Testes rápidos à COVID-19 voltam a ser gratuitos a partir de 19 de novembro

Isto numa altura em que os casos têm estado a aumentar.

Deve-se ou não vacinar os jovens entre os 12 e os 15 anos contra a COVID-19?

Na ótica da Direção-Geral de Saúde, só é recomendável que se vacinem os jovens se eles tiverem comorbilidades associadas, que possam conduzir a uma doença grave ou à morte.

Centro Colombo faz testes gratuitos à COVID-19

O processo está a ser coordenado pelos profissionais de saúde da Farmácia Colombo, que comunica todos os resultados às autoridades competentes.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Croissant da Vila tem um versão de Natal do seu croissant gigante

Dizem que é uma "delícia que irá tornar o centro da mesa absolutamente irresistível".

KFC abre novo restaurante em Gaia

E fora de um centro comercial.