Lisboa vai ter rede ciclável de 200 km até 2021 e mais estacionamento para bicicletas

Transformação do espaço pedonal e aumento da rede ciclável são algumas das medidas do município para evitar o aumento do transporte individual e a poluição.

rede ciclável
- Publicidade -

Foi hoje, em conferência de imprensa, que Fernando Medina, presidente da Câmara de Lisboa, apresentou um plano de transformação do espaço público para a capital portuguesa.

O plano, assente nos programas A Rua é Sua e Lisboa Ciclável, salientou Fernando Medina, pretende evitar a escolha do automóvel. “Lisboa corre o risco de parar e o ar ficará irrespirável”, alertou o presidente da autarquia.

Para evitar o reforço do transporte individual, afirmou, a Câmara vai avançar com medidas no âmbito da rede ciclável, aumento do espaço nos passeios e redução da velocidade em ruas residenciais.

No que toca à rede clicável, atualmente com 105km, deverá crescer mais 26km até julho. Até setembro, serão construídos mais 30 km. Já em 2021, a cidade terá mais 20 km de ciclovias. O objetivo é chegar a 200km de rede clicável durante o próximo ano.

Esta será uma rede clicável estruturante, uma vez que irá cobrir eixos centrais de ligação e ligar principais polos de trabalho, estudo e residência. Todas as ciclovias serão segregadas.

A aposta na rede clicável faz todo o sentido em Lisboa. Na capital, 68% das deslocações são inferiores a cinco quilómetros, ao passo que a velocidade média dos carros em hora de ponta é de 13 km/h.

Para isso, é também necessário que os lisboetas adiram às bicicletas. Assim, será criado um fundo de mobilidade de três milhões de euros. O financiamento municipal, até ao limite de 50% do valor de aquisição, será de até 100€ para bicicletas convencionais (estudantes), até 350€ para bicicletas elétricas e de até 500€ para bicicletas de carga.

Já no que ao aumento do espaço público diz respeito, a Câmara irá intervir dando prioridade a zonas de espera associadas a atividades básicas: retalho alimentar, restauração, equipamentos de saúde, farmácias, paragens de transportes públicos.

Está ainda previsto a criação de espaços de sombra, apoio ao comércio local através do aumento da área para esplanadas, se necessário, através da supressão de lugares de estacionamento e/ou de uma via de trânsito.

Fonte:CM Lisboa
- Publicidade -

Parceiros

Relacionados

Frank Carter & the Rattlesnakes dão concerto em Lisboa em 2022

Um novo espetáculo promovido pela Prime Artists.

Há três freguesias de Lisboa com um projeto de recolha de equipamentos elétricos

“Estejam na cozinha ou na garagem, nós levamo-los para reciclagem” é o mote do projeto piloto desenvolvido pela Câmara Municipal de Lisboa (CML) e o Electrão.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Governo anuncia três fases para a “libertação”. Discotecas e bares poderão voltar a funcionar em outubro

Espera-se que, em finais de outubro, 85% da população portuguesa esteja totalmente vacinada.

Trust coloca o jogo nas nossas mãos com dois novos ratos

Conheçam o GXT 922 Ybar e o GXT 131 Ranoo.

Kena: Bridge of Spirits falha o verão e ganha uma nova data

Um dos jogos de aventura e fantasia mais aguardados do ano sofre mais um ligeiro atraso.