Hug-a-Group. Startup portuguesa quer tornar o apoio de saúde mental acessível a todos

Numa altura em que tópicos como a saúde mental estão na ordem do dia, a verdade é que nem todos conseguem ajuda.

Hug-a-Group
- Publicidade -

Segundo a Deco, o preço de uma sessão de terapia individual é de, em média, 55€, algo que fica um pouco acima das possibilidades da maior parte dos cidadãos. Além disso, quem optar pelo serviço público pode levar a vários meses de espera.

Tais razões fazem com que, por norma, muitas pessoas optem por ignorar ou colocar as suas necessidades a nível da saúde mental em segundo plano, o que, e como infelizmente já vimos em diversos casos, pode trazer consequências gravíssimas.

Sabendo disto e do facto de, cada vez mais, mais portugueses serem afetados pela depressão e ansiedade, eis que surge a Hug-a-Group, startup portuguesa que quer tornar o apoio de saúde mental acessível a todos.

A Hug-a-Group nasceu no ano passado, em setembro de 2019, com a visão de democratizar e dinamizar o acesso a soluções de saúde mental, apresentando-se como uma plataforma de saúde mental que trabalha com terapia de grupo online.

O projeto foi desenvolvido por Pedro Trincão Marques, CEO da Hug-a-Group, que criou uma aplicação onde qualquer pessoa pode aceder a grupos de apoio moderados por psicólogos, a um passo de uma vídeo-chamada, sobre os mais variados temas, desde distúrbios alimentares, ansiedade, mindfulness, entre outros.

O melhor de tudo? O preço é extremamente competitivo, mas sem nunca descurar, claro, a qualidade dos terapeutas e da intervenção.

Além dos grupos de suporte, o cliente beneficia ainda de vídeos e exercícios guiados de auto-ajuda para que possa trabalhar em questões individualmente e tornar o seu crescimento mais consistente. Existe ainda uma comunidade onde o utilizador pode desabafar, de forma anónima, e assim aumentar o sentimento de coesão e comunidade, afastando a sensação de isolamento.

A Hug-a-Group já ganhou alguns prémios de empreendedorismo, já passou pela Web Summit e estabeleceram-se em Lisboa, mais especificamente na Casa do Impacto (projeto da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa).

Nesta fase, o projeto está agora a dar os primeiros passos na região centro, tendo-se juntado à Startup Torres Novas para promover a saúde mental no Médio Tejo. Agora só resta replicar as parcerias estratégicas que têm atualmente com diversas organizações e aplicá-las naquela região.

Fonte:HaG
- Publicidade -

Parceiros

Relacionados

Novo programa desafia startups portuguesas a tirarem partido do 5G

Os melhores projetos podem vir a ser investidos pelo Fundo NOS 5G e o vencedor terá acesso direto a incubação na Startup Lisboa.

Artistas portugueses doam obras para apoiar jovens e crianças carenciadas perturbações de desenvolvimento e comportamento

Uma ação realizada por ocasião do Dia Mundial da Saúde Mental (10 de outubro).

Escola de Medicina da Universidade do Minho lança plataforma de autoavaliação da saúde mental

A Escola de Medicina da Universidade do Minho, em colaboração com o seu Centro de Medicina Digital P5, desenvolveu uma plataforma gratuita que permite fazer uma autoavaliação da saúde mental.

Precisam de abastecer o carro? Há uma startup que vos leva combustível a casa

Numa altura em que o país se encontra em estado de emergência e em que as deslocações dos portugueses...
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

60.000 jovens vão poder fazer um Interrail gratuito já em 2022

Poderão viajar por um período máximo de 30 dias.

Chegou o trailer oficial da 3ª temporada de You

E muita coisa vai acontecer nos novos episódios. Depois das primeiras imagens e da data de estreia da terceira temporada,...

10.ª edição do Open House Lisboa leva-nos a descobrir “Os Caminhos da Água” com várias visitas gratuitas na capital e em Almada

25 e 26 de setembro são as datas do regresso do incontornável fim de semana de visitas gratuitas que desafia a percorrer e a desvendar a cidade através da arquitectura.