Fórmula 1 – Corrida de 70º aniversário dá vitória a Max Verstappen

A 5ª corrida do campeonato mundial de Fórmula 1 de 2020, a segunda em Silverstone, acabou com a hegemonia da Mercedes e levou o “Leão Holandês”, Max Verstappen, ao lugar mais alto do pódio. Uma corrida sem muitos casos onde a estratégia foi mais importante que a velocidade. 

- Publicidade -

Texto por: André Santos

Depois de, há uma semana, em Silverstone, os pneus Pirelli, ou até a gestão dos mesmos, terem feito com que Valtteri Bottas terminasse a corrida fora dos pontos e o seu companheiro de equipa, Lewis Hamilton, tivesse o lugar mais alto do pódio conquistado depois de uma volta em, praticamente, três rodas, voltamos agora a Silverstone, desta vez para a corrida do 70º aniversário da modalidade rainha do desporto motorizado. 

No sábado, a qualificação viu a Ferrari levar apenas um carro para a Q3 e onde os motores Mercedes dominaram os três primeiros lugares da grelha de partida, com Niko Hulkenberg [Racing Point BWT Mercedes] em P3, Hamilton em P2 e Bottas em P1. Estava tudo pronto para voltar a assistir a uma corrida onde a Mercedes dominaria, como de resto tem vindo a ser habitual desde o início do campeonato do mundo de 2020. 

A corrida começou e logo surgiram os problemas para a Ferrari, com Vettel a perder o controlo do SF1000 entre a primeira e a segunda curva e a cair para a última posição. Já a Mercedes, que partiu com os pneus de composto médio, conseguiu, sem grande dificuldade, ganhar em cinco voltas 3.8 segundos ao Red Bull Racing Honda de Max Verstappen, que partiu de pneus duros devido a diferentes escolhas de estratégia por parte da sua equipa. 

Mas estratégia era a palavra-chave para a corrida do 70º aniversário da F1, pelo que foi a partir da 6ª volta que se começou a perceber que a equipa tinha escolhido a estratégia que poderia trazer a vitória com mais facilidade… Os homens da Mercedes já se queixavam que os pneus estariam em estado crítico e Albon [Red Bull] acabou mesmo por parar para trocar para pneus de composto duro. Com 19 voltas, no total de 52, já todos os pilotos que decidiram começar com médios tinham parado para trocar para pneus duros, numa corrida que, até aqui, nos trouxe muito pouca emoção, com apenas algumas lutas interessantes a meio da tabela. 

Tudo estava a correr bem para os homens da Red Bull Racing Honda que, para além de perceberem que a melhor forma de bater os Mercedes era começar com pneus de composto duro, conseguiram também ler a estratégia da equipa alemã e, com um trabalho de paragens nas boxes pensado e adaptado ao milímetro, conseguiram assim ganhar vantagem a ambos os Mercedes.

Lewis Hamilton e os engenheiros da construtora alemã ainda tentaram calçar pneus novos para ganhar tempo a Verstappen, mas já era tarde demais… A cinco voltas do final, o Red Bull com o número 33 levava 6.8 segundos de vantagem para o 77 da Mercedes e caminhava a passos largos para a primeira vitória “não Mercedes” no campeonato do mundo de 2020.

Até ao fim da corrida, o 77 da Mercedes, Valtteri Bottas, ainda foi passado pelo colega de equipa, Lewis Hamilton, que, para além do segundo lugar, ainda levou para casa um ponto extra, ao conseguir o prémio DHL para a volta mais rápida com 1:28:451. 

70 anos de Fórmula 1, festejam os fãs e festejam os homens da Red Bull que conseguiram um primeiro lugar [Max Verstappen] e ainda um quinto lugar com o carro de Albon, tendo recuperado, assim, cinco lugares depois de se qualificar em 9º.

Num Grande Prémio sem casos de cortar a respiração e onde terminaram 19 carros – apenas o Haas de Magnussen não conseguiu chegar ao fim -, é de destacar ainda a grande corrida de Charles Leclerc, que conseguiu levar o SF1000 da Ferrari até ao 4º lugar da tabela classificativa, e que, por sua vez, levou a Scuderia até ao terceiro lugar do campeonato de construtores, apenas atrás da Mercedes e da Red Bull, que se encontram em 1º e 2º lugar, respetivamente. 

Importa ainda referir que, com esta vitória, o “Leão Holandês” sobe à segunda posição no campeonato de pilotos com 77 pontos, mais quatro que Valtteri Bottas. O campeonato é atualmente liderado pelo piloto britânico, Lewis Hamilton, que já conta com 107 pontos. 

Fórmula 1 - Max Verstappen
Foto: Formula1.com – 70th Anniversary Grand Prix
- Publicidade -

Parceiros

Relacionados

Fórmula 1 – Grande Prémio de Itália com festejos na Austrália

O Grande Prémio de Itália veio salvar os três fins de semana consecutivos no campeonato do mundo de Fórmula 1.

Fórmula 1 – Grande Prémio dos Países Baixos com vitória de Max Verstappen

Depois de um espetáculo menos bonito durante o "Grande Prémio" da Bélgica, a Fórmula 1 esteve de volta para o Grande Prémio dos Países Baixos. A correr em casa, Max Verstappen levou a melhor ao volante do seu Red Bull, deixando a competição para trás e subindo, de novo, à liderança do campeonato do mundo de pilotos.

Fórmula 1 – Grande Prémio da Bélgica e o triste espetáculo da FIA

Depois de uma qualificação inacreditável, que contou com o Williams de Russell a 0.3 segundos da pole position, o Grande Prémio da Bélgica conseguiu superar a qualificação e ser ainda mais inacreditável.

Fórmula 1 – Grande Prémio da Hungria fica para a história graças a um Alpine e a um Mercedes

O Grande Prémio da Hungria fica marcado por uma primeira volta cujos acontecimentos, proporcionados em grande parte pelo Mercedes nº 77, conseguiram meter 5 pilotos de fora, mas também pela vitória de Esteban Ocon e ainda por termos não um, mas dois carros da Williams nos pontos.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Já repararam nos novos talões do Lidl? São mais ecológicos

Agora é esperar que a concorrência faça o mesmo.

Burger King abre novo restaurante em Sesimbra

É o 12º spot da marca no distrito de Setúbal e o segundo em Sesimbra.