Estado de Calamidade. Conheçam o Plano de Desconfinamento do Governo

Confirmou-se tudo o que já temos vindo a falar aqui no Echo Boomer. Porém, há questões que o Governo não esclareceu.

Estado de Calamidade
- Publicidade -

Estava prometido e aconteceu. Hoje, dia 30 de maio, o primeiro-ministro António Costa anunciou uma série de medidas de desconfinamento que já vinham a ser faladas há algum tempo na Internet.

Acaba o Estado de Emergência, começa o Estado de Calamidade. Mas isso não significa que a normalidade como a conhecemos esteja de volta. Longe disso.

Seguem as medidas anunciadas pelo Governo:

Regras Gerais:

  • A partir de 4 de maio: Confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigilância ativa, dever cívico de recolhimento domiciliário, proibição de eventos ou ajuntamentos com mais de 10 pessoas, lotação máxima de cinco pessoas por 100m2 em espaços fechados e os funerais só poderão contar com a presença de familiares;
  • A partir de 30 e 31 de maio: cerimónias religiosas (celebrações comunitárias) poderão realizar-se de acordo com regras a definir entre DGS e confissões religiosas.

Transportes públicos:

  • A partir de 4 de maio: Lotação de 2/3 e uso obrigatório de máscara. A higienização e limpeza dos transportes será feita de forma regular.

Trabalho:

O teletrabalho será obrigatório durante maio, pelo menos para aquelas empresas que podem trabalhar nesses moldes. Já a 1 de junho o teletrabalho poderá ser feito parcialmente, o que significa que os funcionários poderão regressar aos poucos às empresas, ainda que com horários desfasados ou equipas em espelho.

Serviços públicos:

  • A partir de 4 de maio: Reabrem balcões desconcentrados de atendimento ao público (repartições de finanças, conservatórias, etc), sendo obrigatório o uso de máscara. O atendimento será feito por marcação prévia;
  • A partir de 1 de junho: Reabrem as Lojas do cidadão.

Comércio e restauração:

  • A partir de 4 de maio: Reabrem lojas com porta aberta para a rua até 200m2, bem como cabeleireiros, manicures e similares, livrarias e stands de automóveis. Nas lojas será obrigatório o uso de máscara. Para cabeleireiros e similares, o atendimento será feito por marcação prévia e mediante condições específicas;
  • A partir de 18 de maio: Reabrem lojas com porta aberta para a rua até 400m2 ou partes de lojas até 400 m2 (ou maiores por decisão de cada autarquia), bem como restaurantes, cafés e pastelarias/esplanadas. No caso dos restaurantes, a lotação máxima estará a 50% da capacidade original, sendo que terão de fechar às 23h;
  • A partir de 1 de junho: Reabrem lojas com área superior a 400m2 ou inseridas em centros comerciais.

Escolas e equipamentos sociais:

  • A partir de 18 de maio: Começam as aulas presenciais para os alunos do 11º e 12º anos ou 2º 3º anos de outras ofertas formativas, bem como as creches (com opção de apoio à família). Será obrigatório o uso de máscaras, exceto para crianças em creches e jardins de infância;
  • A partir de 1 de junho: Reabrem creches, ATLs e o estabelecimentos de ensino pré-escolar.

Cultura:

  • A partir de 4 de maio: Reabrem bibliotecas e arquivos;
  • A partir de 18 de maio: Reabrem museus, monumentos, palácios, galerias de arte e similares;
  • A partir de 1 de junho: Reabrem cinemas, teatros, auditórios e salas de espetáculos. Neste caso, os lugares serão marcados, de modo a que exista distanciamento físico, e a lotação será reduzida.

Desporto:

  • A partir de 4 de maio: Será permitida a prática de desportos ao ar livre, mas sem utilização de balneários nem piscinas;
  • A partir de 30 e 31 de maio: Poderão regressar as competições oficiais da 1ª Liga de Futebol e Taça de Portugal. Estas datas, porém, não estão fechadas.

No que toca a condições gerais, a lotação máxima de todos os espaços será reduzida, o distanciamento físico deverá ser de dois metros e, claro, a lavagem das mãos continua a ser essencial. Estas decisões serão reavaliadas a cada 15 dias.

Ficaram por definir algumas questões. Por exemplo, e relativamente aos festivais, a decisão ficou adiada para a próxima semana. No que toca ao acesso às praias, será permitido, sim, mas apenas para a prática de desportos individuais.

Relativamente à saúde, e no que toca, por exemplo, à Medicina Oral, como dentistas, os mesmos continuam a estar disponíveis para consultas de emergência. Mas ainda não existem datas para um regresso “normal”.

Resta saber por quanto tempo permanecerá o país em Estado de Calamidade. Estas medidas foram pensadas somente até 1 de junho, estando sujeitas a reavaliações.

- Publicidade -

Parceiros

Relacionados

Centro Colombo faz testes gratuitos à COVID-19

O processo está a ser coordenado pelos profissionais de saúde da Farmácia Colombo, que comunica todos os resultados às autoridades competentes.

Albufeira, Lisboa e Sesimbra recuam dois passos no desconfinamento. E outros concelhos voltam a ter limites de horários

Quer isto dizer que, de momento, não existem condições para prosseguir o desconfinamento.

DGS recomenda realização de testes à COVID-19 em casamentos com mais de 10 pessoas

No caso de eventos de natureza cultural ou desportiva, recomenda-se a testagem sempre que o número de participantes/espectadores seja superior a 1.000, em ambiente aberto, ou superior a 500, em ambiente fechado.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

DreamsCom regressa com mais um festival virtual de experiências feitas no Dreams

A DreamsCom 21 começa já no próximo dia 27 de julho.

Ouve aqui aos dois primeiros temas de Dune, de Hans Zimmer

Hans Zimmer está de volta com mais uma banda sonora original, para um dos filmes mais antecipados do ano.

Lacuna Coil, Decapitated e Orphaned Land reconfirmados para o Laurus Nobilis 2022

A organização promete muito mais nomes para anunciar, entre os quais algumas surpresas.