Análise – Elgato Wave:3

Som perfeito para qualquer ocasião.

Elgato Wave:3
- Publicidade -

Depois de nos trazer algumas das placas de captura mais acessíveis e populares do mercado, a Elgato tem lançado produtos que prometem satisfazer as necessidades dos streamers e produtores de conteúdo num ecossistema dedicado. A aposta mais recente da marca são os microfones, com a chegada do Elgato Wave:1 e do modelo mais avançado Elgato Wave:3, que tive a oportunidade de testar e usar durante as últimas semanas.

Até aqui, a minha experiência com microfones não tem sido muito grande. Já tive a oportunidade de testar produtos similares da Razer e, no meu dia a dia para gravar podcasts e outros conteúdos, uso um modelo barato da Amazon. Por isso, foi muito fácil cair em boas graças com o Elgato Wave:3. Contudo, há muito mais para ficar satisfeito do que com este salto de gigante.

Começando pelas aparências e qualidade de construção do produto, a Elgato não se poupou. O Wave:3, assim como o seu modelo mais simples, o Wave:1, tem um design simplista, moderno e com um lado mais clássico. É um microfone de condensador com uma construção sólida, maioritariamente em plástico de alta qualidade e que inclui na caixa um belo e robusto suporte para pousar na secretária. Apesar desse suporte, é possível também colocá-lo num braço genérico sem qualquer problema graças a um adaptador incluído.

A nível de interface, o Wave:3 é interessante porque é completo… apesar de simples. Na traseira encontramos uma porta USB-C e uma saída de auscultadores e, na frente, um controlador de volume para diferentes formas de uso, volume de captura, volume dos auscultadores e mistura de som. Já no topo temos um botão capacitivo sensível ao toque, de Mute, que é excelente, uma vez que permite a sua utilização quase “invisível”.

Graças a estas funcionalidades, o Wave:3 já é, por si só, extremamente completo e versátil, na medida em que, sem grandes setups, oferece um controlo muito preciso de diferentes parâmetros sem recurso a ferramentas extra. E tudo isto é deve-se aos seus componentes internos que nos deixam controlar os níveis de áudio das misturas de som de forma muito intuitiva.

A entrada da Elgato no segmento é feita à grande e, no caso do Wave:3, a marca quer agradar aos mais exigentes e até profissionais com características de estúdio. Tecnologia anti-clipping de áudio, filtro pop interno, resolução até 24 bit, sample rate de 48/69kHz, frequência entre 70 a 20000Hz, sensibilidade de -25dBFS no mínimo e 15dBFS máximo e alcances até 120 e 95 dBS. São características que, para os mais dedicados, oferecem uma enorme flexibilidade de edição e manipulação de som.

E se na teórica tudo isto é bom, na prática, até para quem não tem muita experiência, facilmente se apercebe que está perante uma excelente solução. A clareza do som é impecável. O Wave:3 capta o som de forma impressionante, sem ruídos, pops ou respirações exageradas a uma distância confortável. Todavia, a clareza do som irá depender muito da acústica do local onde se usa, pois o Wave:3 apanha tudo, especialmente sons mais próximos ao microfone, como cliques de rato ou teclados mecânicos, algo que parece negativo, mas que, na realidade, revela o excelente alcance do seu potencial.

Mas a arma secreta do Wave:3 é o software da Elgato que aumenta o potencial de utilização, o Wave Link. Neste software, o grande destaque vai para o Clipguard, suportado pelo Wave:3, que, quando ativo, impede que o som, neste caso a nossa voz, ganhe distorção quando falamos mais alto ou gritamos, ao comprimir o volume e a sua frequência para um limite agradável e sempre claro. Esta função é particularmente útil para streaming, chamadas e outras utilizações onde não seja possível fazer edição de pós-produção.

Elgato Wave:3

O Wave Link passa também a ser o comando de controlo perfeito para o Wave:3. Por defeito, este modelo já permite brincar com a mistura de áudio com o que é captado e o que ouvimos nos auscultadores, mas, no Wave Link 3, podemos configurar os volumes todos individualmente, de acordo com as nossas necessidades, ligando cada parâmetro a diferentes aplicações e funções. Assim, durante uma transmissão, é possível, por exemplo, continuar a ouvir música, sem que esta seja passada para o stream, evitando problemas de direitos de autor, bem como controlar com mais precisão o volume dos jogos e da voz e muito, muito mais, de forma muito intuitiva.

Por fim, a integração com softwares como o OBS e dispositivos como o Stream Deck (que também tem uma aplicação para Android e iOS) só aumentam o potencial e o controlo do Wave:3, revelando-se uma das melhores armas do arsenal de um criador de conteúdo.

O Elgato Wave:3 é, sem dúvida alguma, uma enorme surpresa e um autêntico homerun para a marca. Com um design muito agradável que fica bem em qualquer secretária, é bem construído, conta com características profissionais e um enorme potencial de utilização graças à sua instalação quase plug-and-play e à compatibilidade de softwares.

Já disponível por 169,99€, o Elgato Wave:3 encontra-se esgotado no momento de escrita desta breve análise, o que revela também que não só é uma excelente solução, como já é também um dos favoritos do pessoal.

Nota: Excelente - Recomendado

Este dispositivo foi cedido para análise pela Elgato.

- Publicidade -

Parceiros

Relacionados

Análise – Razer Seiren X para PlayStation 4

A Razer volta a apostar este ano nos microfones para streamers e produtores de conteúdo com o seu Razer Seiren...

Razer atualiza o seu microfone de streaming Razer Seiren para a PlayStation 4

A Razer e a PlayStation juntaram-se para o lançamento de um novo periférico licenciado oficialmente para a PlayStation 4. É...

Análise – Broadcast Razer Kiyo + Seiren X – O casamento perfeito para criadores de conteúdo iniciantes

Para quem procura equipamentos para se lançar no mundo do streaming de videojogos ou produção de conteúdos, a Razer Kiyo e o Seiren X são duas excelentes soluções a ter debaixo de olho.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

1Click é o primeiro serviço de subscrição mensal de lentes de contacto em Portugal

E promete-se preços competitivos. Nasce com a promessa de descomplicar o dia-a-dia e melhorar a experiência online dos utilizadores de...

MUSA Cascais só regressa em 2022

Fica para julho de 2022.

Shopopop. Esta app permite que qualquer um aproveite as deslocações diárias para entregar encomendas (e paga por isso)

A Shopopop é a primeira empresa do género a atuar em Portugal e já está disponível em Lisboa, Montijo e Setúbal.