Análise – Auriculares Panasonic (RZ-S500W/RZ-S300W)

A entrada da Panasonic no mundo dos auriculares sem fios deixa muito a desejar.

Panasonic RZ-S500W

Após alguns anos de investimento em áreas mais direcionadas para o mercado profissional, a Panasonic decidiu apostar forte num nicho que está a crescer exponencialmente: o de auriculares sem fios. E foi por isso que a marca lançou dois modelos distintos no mercado.

Chegaram-me duas versões para análise: RZ-S300W e RZ-S500W. No entanto, irei focar-me no RZ-S500W, fazendo apenas um breve comentário ao modelo mais simples e barato, o RZ-S300W.

Para fazer esta análise de forma assertiva, focar-me-ei em cinco pontos-chave que considero essenciais: qualidade do som, conectividade, bateria, conforto e design.

RZ-S500W

A Panasonic não só entra no nicho de auriculares sem fios, como este modelo consta na categoria de True Wireless – tornada num sucesso graças ao burburinho em torno dos AirPods da Apple – com tecnologia Noise-Cancelling, que se tem tornado cada vez mais popular.

A Panasonic já tem um longo historial de R&D na área, pelo que não fiquei impressionado relativamente à qualidade de som destes auriculares. A aplicação dedicada, chamada de “Audio Connect”, permite controlar várias nuances com o equalizador, o clear voice e o base enhancer, tornando a experiência mais personalizada para o que estamos a ouvir, seja uma música onde o bass é fundamental ou um podcast onde queremos que as vozes sejam o mais perceptíveis possível.

O facto de achar impressionante o desleixo nem se prende muito com a qualidade e profundidade de som (que até é bastante boa), mas sim com o volume do mesmo. Os AirPods (2ª geração), por exemplo, conseguem um som tão ou mais límpido que os RZ-S500W com quase o dobro do volume. É certo que o Noise Cancelling (funciona muito bem, é certo) veio permitir que não seja necessário ter o som tão alto enquanto estamos em zonas com muitos ruídos, mas, ainda assim, acho limitador.

Em conectividade, o emparelhamento é feito através de Bluetooth 5.0 e é relativamente simples, sendo que a aplicação ajuda com instruções base mal a iniciamos. Os auriculares são dotados de ear detection, ligando automaticamente ao dispositivo a que estão conectados poucos segundos após os colocarmos nos ouvidos, e a resposta a comandos é rápida e a latência quase inexistente. No entanto, quando os retiramos dos ouvidos, a música continua, o que indica que o ear detection só funciona para conectar.

A nível de bateria, têm até 6,5 horas de autonomia em reprodução contínua, mais 19,5 horas de bateria na caixa de carregamento equipada com fast charging, que, com 15 minutos de carga, permite 70 minutos de reprodução. É uma boa autonomia, mas não é impressionante quando temos em conta o panorama geral na categoria de Noise Cancelling.

Comparando com as especificações de dois concorrentes, temos os Sony WF-1000XM3, que conseguem mais 22% de tempo de reprodução com menos 33% de bateria, e os Apple AirPods Pro, que conseguem 60 minutos de reprodução com apenas cinco minutos de carga (menos 66% do tempo), sendo que compensa bem o facto de terem menos duas horas de autonomia.

Mas é quando falamos em design é que as coisas começam a descarrilar… Apesar de tanto a caixa como os auriculares serem dotados de material robusto, os acabamentos são muito desleixados. Nota-se em ambas as uniões dos moldes da injeção de plástico.

Para alguns isto podem nem fazer diferença, no entanto, o mercado acaba por ser exigente e o valor acrescentado em aesthetics que a Apple foi incutindo no inconsciente dos consumidores, ao longo de tantos anos, infiltrou-se de tal forma no mercado que a maioria das marcas passaram a ter cuidados redobrados com os acabamentos e detalhes. Por isso, quer queiramos quer não, o aspeto é a primeira coisa que salta à atenção, e se os auriculares da Panasonic dependerem disso, não vão sair das estantes.

Tendo sido o design ignorado, temos como resultado um produto final horrendo. A caixa parece da loja dos trezentos e os auriculares (que é o que salta à vista) são grandes demais, assentam de forma esquisita e têm uma grelha cinzenta que destoa um bocado do resto do auricular. A nível de design mecânico, o facto da área de contacto para os comandos de play/pause e troca de modos de reprodução ser enorme faz com que paremos a música a ajeitar o auricular ou a recomecemos a arrumá-los na caixa. Ao fim de pouco tempo torna-se irritante.

No que toca a conforto, digo com certezas que é o ponto mais fraco destes auriculares. Por muito bem que funcionem e por muito bom que seja o som (ignorando o design), o facto de não serem nada confortáveis arruína logo a experiência.

O primeiro indício é o facto de não encaixarem bem na orelha e ser difícil encontrar a posição ideal. Para tornar essa ação mais irritante enquanto os estamos a ajeitar, já começámos e parámos três ou quatro vezes a música por culpa da enorme superfície de contacto.

O segundo indício é que, em pouco tempo, começam a sair do ouvido – pior ainda quando estamos em movimento. Desporto com eles é mesmo para esquecer, uma vez que tal obriga-nos a ajeitar os auriculares e, durante essa ação, já mudámos de modo duas vezes e os desligámos por causa, mais uma vez, da enorme superfície de contacto.

O terceiro indício é que não são ergonómicos, fazendo com que, ao fim de 30 minutos, comecem a incomodar. Ao fim de uma hora torna-se quase insuportável de os ter no ouvido de tão desconfortáveis que ficam.

Acredito que esta falta de ergonomia se deva ao design dos auriculares, mas é inaceitável ter uma equipa de profissionais de desenvolvimento de produto que não chegue a esta conclusão antes de aprovar o produto.

RZ-S300W

Auriculares Panasonic - RZ-S300W

O modelo RZ-S300W é a versão mais económica desta linha lançada pela Panasonic, que não é dotada de noise-cancelling, mas que, em contrapartida, também são true wireless e têm 33% mais autonomia. O volume e qualidade de som são inferiores, o design continua a ser insatisfatório e nota-se bem a mesma falta de rigor nos acabamentos. No entanto, ganham pontos por serem muito mais ergonómicos.

Enquanto o modelo mais caro (RZ-S500W) está situado nos 180€, o modelo inferior (RZ-S300W) custa 120€. De acordo com a experiência que tive com ambos os auriculares ao longo de dezenas de horas de reprodução de conteúdo, sou da opinião que, a nível de qualidade preço, a Panasonic não está bem posicionada para conquistar espaço no mercado.

Por isso, se estão à procura de soluções áudio do género, o que não faltam são opções bem melhores no mercado.

Nota: Satisfatorio

Este dispositivo foi cedido para análise pela Panasonic.

- Publicidade -

Sigam-nos

10,689FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
622SeguidoresSeguir

Media Partner

Relacionados

- Publicidade -

Mais Recentes

Subway celebra Liga dos Campeões com oferta de batatas nos pedidos feitos via Uber Eats ou Glovo

Basta que encomendem uma sub e que o valor do pedido seja superior a 6€.

Torres Novas. Restaurante O Sossegado vai dar lugar a um restaurante indiano

Um restaurante indiano numa aldeia? Ficámos interessados!

Portugal vai receber uma prova do Mundial de MotoGP

E à semelhança da Fórmula 1, este GP de Portugal também acontecerá no Autódromo Internacional do Algarve, em Portimão.