Google vai deixar de vender anúncios personalizados com base no histórico dos utilizadores

- Publicidade - trk
- Publicidade -

Mas isto somente quando os cookies de terceiros forem eliminados.

anúncios personalizados

No ano passado, o Chrome anunciou a intenção de remover o suporte para cookies de terceiros, razão pela qual a Google tem estado trabalhar com a indústria de forma mais alargada no Privacy Sandbox, desenvolvendo inovações que protejam o anonimato e, ao mesmo tempo, proporcionem resultados para anunciantes e publishers.

Mesmo assim, a Google refere que continua a ser questionada se irá juntar-se a outros na indústria de tecnologia de publicidade que planeiam substituir cookies de terceiros por identificadores alternativos ao nível do utilizador. E não, não é isso que vai acontecer.

Em comunicado, a empresa refere que, assim que os cookies de terceiros forem eliminados, não só não irá criar identificadores alternativos para monitorizar indivíduos enquanto navegam na web, como nem sequer os irá usar para os seus próprios produtos. Quer isto dizer que a Google vai deixar de vender anúncios personalizados com base no histórico dos utilizadores

Em vez disso, os produtos da Google serão alimentados por APIs que preservam a privacidade, que evitam o rastreamento individual e, ao mesmo tempo, proporcionam resultados para anunciantes e editores.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

- Publicidade -

Relacionados

- Publicidade -
- Publicidade - trk
- Publicidade -

Mais Recentes

Linha do Oeste vai ser finalmente modernizada

A capacitação da Linha do Oeste, até Caldas da Rainha, possibilitará a redução do tempo de viagem entre Caldas da Rainha – Lisboa e Torres Vedras – Lisboa em cerca de 30 minutos.

Stormzy fora do NOS Alive 2022. Horários já estão disponíveis

Está naquela altura de fazer escolhas.

Governo vai avançar com aeroportos no Montijo e em Alcochete. O de Lisboa é para fechar

O do Montijo, que será complementar, deverá estar pronto em 2026. Já o de Alcochete, que substituirá o de Lisboa, estima-se que entre em funcionamento em 2035.